Suspeito de matar coordenador comercial em Itaboraí é condenado à morte pelo tráfico

Criminoso foi encontrado morto no mesmo bairro que a vítima

Escrito por Redação 01/07/2019 14:53, atualizado em 30/06/2019 15:46
Suspeito de cometer o crime foi julgado e condenado à morte
Suspeito de cometer o crime foi julgado e condenado à morte . Foto: Luiz Nicolela

R$ 200. Esse pode ter sido o valor que custou a vida do coordenador comercial Rodrigo Leite Cabral, de 32 anos. As investigações da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo apontam que o jovem foi morto porque criminosos queriam as quatro rodas de calotas simples de seu carro, um New Fiesta preto, para revendê-las. Cada peça costuma ser encontrada em ferros-velhos por cerca de R$ 50.

Um dos suspeitos de cometer o crime, foi julgado e condenado à morte pelo tráfico de drogas de uma comunidade de Itaboraí. Temendo ter o mesmo fim, seu comparsa, Werley da Silva Junior, conhecido também como Bebê, de 19 anos, se entregou à polícia e confessou o crime.

O outro acusado do crime foi encontrado morto na noite de sexta-feira (28), em Village do Sol, mesmo bairro onde o coordenador comercial foi amarrado e cruelmente assassinado à pedradas. De acordo com a apuração policial, após o desaparecimento de Rodrigo repercutir na imprensa e nas redes sociais, com a informação de que sua última localização teria sido próximo de Itambi, traficantes da região começaram a procurar os responsáveis pelo crime.

Na noite de sexta-feira, menos de 24 horas após o sumiço de Rodrigo e antes mesmo do corpo dele ser encontrado, os criminosos localizaram o suspeito e gravaram um vídeo, pedindo para ele explicar o que ele e o comparsa haviam feito.

 Durante o diálogo, quem grava as imagens classifica o crime como covarde.

O homem que filma pergunta "e o Bebê, o que ele fez?", e o menor responde "jogou o cara fora". Em seguida, ele complementa "lá dentro lá, matou mermo (sic)". O homem então questiona o que o Bebê fez com Rodrigo, ele narra: "ele jogou o cara fora, amarrou o cara e matou o cara na pedrada lá". O responsável pela gravação finaliza "amarrou o cara na covardia e deu várias pedradas".

Após as filmagens, o rapaz foi julgado e condenado à morte pelo tráfico local. Seu corpo foi encontrado mutilado e com diversos sinais de tortura, segundo a perícia técnica.

Temendo ter o mesmo fim do comparsa, Werley, conhecido como Bebê, resolveu se entregar a polícia na manhã de sábado (29). Logo após o carro de Rodrigo ser encontrado por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) às 7h50, na Estrada de Itambi, a mãe do suspeito ligou para o 35º BPM (Itaboraí) e pediu para que PMs o pegassem em casa.

Werley foi levado até à sede da Divisão de Homicídios, em Niterói, onde confessou o crime e depois de algumas horas contou aos agentes onde tinha escondido o corpo da vítima, que foi localizado só no início da noite. Rodrigo foi encontrado amarrado, com ferimentos na cabeça provocado pelas pedradas, no fundo de uma fossa desativada, da Rua 32. O coordenador comercial estava com a roupa que usou no seu tradicional futebol de quinta-feira: chuteiras e o meião pretos, calção e uma blusa simples.

A polícia apurou que Werley, o menor, e possivelmente um terceiro homem, abordaram Rodrigo no retorno de Guaxindiba, bairro onde ele morava com a esposa e os dois filhos de três anos e um ano e meio. Os bandidos estavam escondidos no mato, e se aproveitaram que a vítima precisou reduzir a velocidade, por conta de uma rotatória, para apontar uma arma e anunciar o assalto, no final da noite de quinta-feira (27).

Os criminosos renderam o coordenador comercial, entraram no veículo, seguindo pela Estrada da Comperj até a Estrada Prefeito João Batista Caffaro, onde pararam na altura do bairro Village do Sol. Lá, eles obrigaram a vítima a retirar as rodas de seu veículo Ford Ka e depois a mataram.

Ainda de acordo com a polícia, Rodrigo foi assassinado porque os assaltantes ficaram com medo de liberá-lo e ele encontrar com algum traficante e contar o que tinha acontecido. O corpo teria sido jogado na fossa desativada na tentativa de que nunca descobrissem o crime.

A família agradeceu todas as mensagens de conforto e informou que o velório de Rodrigo Cabral acontecerá amanhã, 01, 13h30 no Cemitério Arquiconfraria Nossa Senhora da Conceição.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas