Polícia identifica menor morto na ‘guerra’ do tráfico em São Gonçalo

Ainda não se sabe se jovem pertencia ao tráfico

Enviado Direto da Redação

Agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) apuram se o adolescente de 14 anos, encontrado morto no Pacheco, em São Gonçalo, na manhã de segunda-feira (10), foi executado por traficantes do Comando Vermelho (CV), que atacaram o Complexo do Miriambi durante o final de semana.

Nas redes sociais, circula uma foto do menor antes de ser morto, com oito armas, entre fuzis e pistolas, apontadas para seu rosto. Na imagem é possível perceber que a vítima já havia sido agredida, pois estava com o rosto sangrando.

De acordo com o delegado Leonardo Affonso, responsável pelas investigações, já foi confirmado que o adolescente de 14 anos foi morto em razão da guerra entre traficantes do Terceiro Comando Puro (TCP) e do Comando Vermelho (CV) pelo domínio territorial do Morro da Caixa d’Água, no Vila Três, e Jardim Miriambi.

“Não posso confirmar se a vítima era aliada a alguma facção. No momento, existem suposições a respeito do grupo responsável pelo crime, mas, pelo que apuramos inicialmente, a linha mais forte indica que o Comando Vermelho foi quem cometeu o homicídio”, disse Affonso.

Num vídeo, criminosos armados de pistolas afirmam ser integrantes do CV e que mataram quem os enfrentou. Na gravação, também ameaçam o ex-comparsa de facção Carlos Eduardo Barros de Oliveira, o Grisalho, que é chefe do tráfico do Complexo do Miriambi.

“Aí óh chefe, quem peitou morreu. Óh nós aí, óh a tropa aí, quem peitou morreu. Isso aqui é CV...Nós voltou pá casa, nós tá de lá, a bala voa. Óh o GN aí, felizão porque voltou pra casa. Nós tá daqui, nós tá em casa. Vai morrer Grisalho..., traidor”, falavam os traficantes.

A DH trabalha para identificar quem são os bandidos que aparecem no vídeo.

Recordando - Na manhã de segunda-feira, o corpo de um adolescente de 14 anos foi deixado na Rua Avelino Dutra de Carvalho, no Pacheco, em São Gonçalo. De acordo com a polícia, o menor foi morto durante a madrugada de segunda no Complexo do Miriambi e, por volta das 8h, traficantes retiraram o corpo da comunidade e o deixaram enrolado em uma colcha na calçada de uma rua, colada ao muro do Cemitério Municipal do Pacheco.

Agentes da Divisão de Homicídios foram até o local para realizar perícia técnica e constataram que a vítima foi morta com tiros de fuzil na cabeça.

Veja também