Professora feita refém pelo marido deixa o cativeiro ferida no Rio

Após 14 horas como refém, Luciana foi libertada com lesões pelo corpo

Enviado Direto da Redação
O Tenente-Coronel André Luiz do Amaral Rocha,manteve a mulher e os dois filhos gêmeos do casal sobre a mira de uma arma

O Tenente-Coronel André Luiz do Amaral Rocha,manteve a mulher e os dois filhos gêmeos do casal sobre a mira de uma arma

Foto: Reprodução


Mantida por quase 14 horas como refém no apartamento da família em Cascadura, bairro da Zona Norte do Rio, a professora Luciana Arminda foi libertada do cativeiro com lesões pelo corpo. O marido, o Tenente-Coronel André Luiz do Amaral Rocha, manteve a mulher e os dois filhos gêmeos do casal, de 11 anos, sobre a mira de uma arma.


Luciana contou à polícia que ele ameaçava ela e os filhos a todo o momento, e que o relacionamento com o marido piorou há dois anos, com brigas e desentendimentos.


André Luiz, de 50 anos, não quis relatar nada durante o depoimento na 29ªDP (Madureira). O militar afirmou que irá se pronunciar apenas na Justiça. Ele foi autuado por sequestro com cárcere privado. O Tenente-Coronel estava afastado do exército para terminar um mestrado na área da Educação. Ele seria integrante do Serviço de Inteligência do exército.


O porta-voz da Polícia Militar, coronel Mauro Fliess, contou que o processo de negociação foi tenso. Equipes de médicos, psicólogos e policiais treinados em negociações de conflitos participaram da ação. Também participaram policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e atiradores de elite.


Luciana Arminda é professora de Libras para crianças com problemas como surdez, mudez e autismo em uma escola municipal, em Quintino Bocaiúva.


Em nota, o Comando Militar do Leste informou que transmitiu à Polícia dados que pudessem ser úteis ao processo de negociação. Após André Luiz se entregar, a mulher e os filhos receberam atendimento de profissionais de saúde e estão na companhia de parentes próximos.

Veja também