'Líder' da Nova Grécia é suspeito da morte de mãe e filha em São Gonçalo

Dupla foi torturada e executada com tiros na cabeça

Enviado Direto da Redação
Mãe e filha foram encontradas mortas na última quarta-feira, no Capote, em São Gonçalo

Mãe e filha foram encontradas mortas na última quarta-feira, no Capote, em São Gonçalo

Foto: Divulgação

Por Renata Sena 

Em uma semana, quatro moradores de três diferentes comunidades de São Gonçalo foram torturados e mortos por criminosos que controlam o tráfico na região em que residiam. O último caso da semana aconteceu no Capote, onde mãe e filha foram executadas.

Apontado como atual líder da Nova Grécia, em Tribobó, São Gonçalo, Alessandro Luiz Vieira Moura, conhecido como Vinte Anos, pode ter relação com a morte de Flávia Gama Nunes, de 33 anos, e Pâmela Jenifer Nunes da Silva, de 14 anos, a mãe e filha encontradas mortas na última quarta-feira, no Capote, em São Gonçalo. A dupla foi executada com tiros na cabeça, por criminosos que disputam o controle do tráfico da região e são ligados à facção Amigos dos Amigos (ADA).

Cria do Capote, o atual líder do local, que foi identificado somente como RV, conseguiu recuperar o domínio da comunidade há poucos dias, depois de receber apoio de Vinte Anos, que chegou abrigar RV na Nova Grécia.

De acordo com as investigações da polícia, a retomada de RV às bocas de fumo do Capote aconteceu de forma semelhante a invasão de Vinte Anos na Nova Grécia. E a morte de mãe e filha pode ter acontecido como sinal de alerta para os moradores da região.

“Assim como Vinte Anos expulsou moradores e baleou quem tinha conhecimento com os traficantes das facções rivais, na Nova Grécia, RV fez semelhante no Capote. Flávia conhecia muita gente ligada aos rivais da ADA no Capote. Essa pode ter sido a motivação”, explicou um agente que investiga o caso. Vídeo – Num vídeo de menos de dez segundos, divulgado nas redes sociais, é possível ver mãe e filha clamando pela vida. De joelhos no chão, as duas estão próximas, quando um homem atira contra a cabeça de Pâmela, que morre na hora. A mãe da menina grita, mas é morta em seguida.

Flávia, segundo informações, estava se recuperando de uma tentativa de homicídio, ocorrido há cerca de quatro meses. “Um ex companheiro colocou fogo no corpo dela. Em chamas, ela conseguiu pedir ajuda e estava se recuperando. Ela estava com o corpo todo queimado ainda”, contou um amigo, que preferiu anonimato.

Pâmela iria completar 15 anos no próximo dia 26 e atualmente se preparava para retornar às aulas. Mãe e filha foram sepultadas na tarde de ontem, no Cemitério Municipal do Pacheco, em São Gonçalo.

Histórico – RV é “cria do Capote”, mas saiu do local depois de tentar dar um golpe no Comando Vermelho, facção a qual pertencia na ocasião. Em 2018, ele se uniu aos criminosos do Terceiro Comando Puro e chegou a reassumir o Capote, mas perdeu novamente para o Comando Vermelho.

Com dívidas no TCP, RV ‘pulou’ para a ADA depois de receber apoio de Vinte Anos, que ajudou com armas e abrigo para que RV retomasse o Capote.

Denúncia – Quem tiver informações que ajudem a polícia a identificar RV e localizar o paradeiro dos criminosos envolvidos nas mortes de mãe e filha, podem repassar ao Disque Denúncia, através do 2253-1177. O anonimato é garantido.

Veja também