Morre segunda vítima de explosão no Engenho do Roçado, em São Gonçalo

O noivo da vítima segue internado em estado gravíssimo

Enviado Direto da Redação
O noivo da vítima segue internado em estado gravíssimo

O noivo da vítima segue internado em estado gravíssimo

Foto: Reprodução

Faleceu, na noite desta segunda-feira (10), a jovem Myllena Oliveira, de 20 anos, a segunda vítima fatal da explosão de uma residência, no Engenho do Roçado, em São Gonçalo, acontecida no último dia 2 de dezembro. O noivo da vítima, Rafael Ferreira, segue internado no Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), em São Gonçalo, e apresenta estado de saúde gravíssimo, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES). 

De acordo com amigos de Myllena, a jovem apresentou sinais de piora em seu estado de saúde nos últimos dias, com falhas no funcionamento dos rins e do pulmão, provável motivação da morte. A família ainda aguarda os exames para a confirmação da causa da morte da jovem, que estão sendo realizados na manhã desta terça-feira (11).

"O sentimento é de muita tristeza diante de toda essa situação e as más notícias não param. Já perdemos a Célia e agora é a Myllena. Temos que continuar em oração pela saúde do Rafael, que também está em estado grave de saúde. Um sonho foi interrompido de forma trágica. É uma sensação muito triste", afirmou uma das amigas da vítima, a empresária Gabrielly Quintes, de 33 anos. 

Investigações - Segundo a polícia, traficantes de drogas do bairro teriam explodido a residência em que estavam as vítimas, com dinamite, pensando que essas pessoas eram parentes do antigo dono da casa, um policial militar, que atualmente está lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Formiga, no Rio.

O soldado da Polícia Militar morava com sua família há 20 anos no local, antes de deixarem a residência, em meados de 2017, após ter a sua identificação profissional descoberta por traficantes do local. 


Recordando - Uma explosão deixou três pessoas gravemente feridas, na tarde do último dia 2 de novembro, no Engenho do Roçado, em São Gonçalo. O casal Myllena Olveira, de 20 anos, e Rafael Ferreira, 19, acompanhados da mãe da jovem, a auxiliar de serviços gerais, Maria Célia Campos, de 48, estavam realizando a limpeza da nova casa, quando foram surpreendidos por uma enorme explosão. 


Todas as vítimas foram levadas para o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê, em São Gonçalo, em estado gravíssimo, devido as enormes queimaduras. 


Falecimento - A auxiliar de serviços gerais, Maria Célia Campos, de 48 anos, faleceu, no último domingo (9), em decorrência da falta de funcionamento do rim. A mãe de Myllena foi sepultada, ontem, no Cemitério do Maruí, no Barreto, em Niterói. 

Veja também