Polícia tenta identificar bandidos que explodiram casa no Engenho do Roçado

Crime vitimou três pessoas da mesma família

Enviado Direto da Redação
Força da explosão foi tanta que destruiu completamente a residência

Força da explosão foi tanta que destruiu completamente a residência

Foto: Luiz Nicolela

Os policiais da 75ªDP (Rio do Ouro) tentam identificar os autores do atentado que deixou três pessoas de uma mesma família gravemente feridas na tarde do último domingo (2), em uma residência na Rua Renida Silva Carvalho, no Engenho do Roçado, em São Gonçalo. As investigações iniciais da polícia apontam que traficantes de drogas explodiram a residência em que estavam as vítimas com dinamite, pensando que essas pessoas eram parentes do antigo dono da casa, um policial militar.

As vítimas são o casal Rafael Ferreira, de 19 anos, Myllena Oliveira, de 20, e a mãe dela, Maria Célia Campos, 48. Todos estão internados em estado gravíssimo, no Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em SG. O casal havia adquirido a casa do policial militar e ido ao local no domingo para começar a preparar a mudança.

No mês passado, o policial havia decidido deixar o imóvel, após ter a identificação profissional descoberta pelos traficantes do local. Foi preciso apoio de policiais do 7ºBPM (São Gonçalo) para fazer a mudança. Os traficantes teriam conseguido esconder a dinamite na casa, antes de as pessoas chegarem.

Para detonar o explosivo, eles podem ter usado técnicas de baloeiros quando montam cangalhas de fogos: instalando pavios que se mantém acesos quando acionados, mas demoram muito tempo para atingirem os detonadores. “É como fabricar uma bomba relógio, com técnicas rudimentar”, afirmou um policial.

Veja também