Após 'racha', traficante Faustão pode assumir lugar de 2N no Salgueiro

Criminoso da Penha seria o favorito de Rabicó

Enviado Direto da Redação


No ‘racha’ entre Antônio Ilário Ferreira, o Rabicó, um dos chefes do Comando Vermelho (CV), e Thomaz Jhayson Vieira Gomes, o 2N, pelo controle do tráfico no Complexo do Salgueiro, a polícia investiga a participação de Ricardo Severo, o Faustão da Penha ou Gordão, que é apontado como um dos ‘favoritos’ para assumir o posto de 2N.

De acordo com investigações, após sair da cadeia em regime semi-aberto em 25 de abril de 2015 e não retornar, Faustão procurou abrigo no Salgueiro, para onde levou a família, e por ordens de Rabicó, ganhou a proteção de ‘soldados’ crias da comunidade.

Conforme relatos de policiais, com perfil conciliador, diferente de 2N e seu principal aliado, Luiz Ricardo Monteiro Cunha, o Ricardinho, investigados por várias execuções, Faustão teria conquistado aliados na comunidade ao evitar mortes consideradas desnecessárias.

Num dos relatos que chegaram aos policiais, Faustão teria evitado a morte de um pedreiro, morador da comunidade, que desempregado, fez um ‘bico’ como seu segurança durante um tempo, mas ao resolver deixar a função e voltar a trabalhar, teria sido ameaçado.

Informações dão conta de que Adenilton de Madureira Vasconcelos, o Tilu da Balança, foi morto pelo grupo de 2N, porque era ligado a Faustão, e por isso teria recebido ‘carta branca’ de Rabicó para assumir as ‘bocas’ da Ilha de Itaoca e na Balança.

Além de Ricardinho, segundo os policiais, 2N conta com o apoio de Marcos Antônio Jacinto da Silva, o Biscole, que indicado por Rabicó para assumir o tráfico há alguns anos, preferiu ceder a vez para 2N, e desde então atua como ‘gerente’ do ‘crack’ e ‘segurança’ do chefão.


A insatisfação de Rabicó com os constantes roubo de cargas no entorno do Complexo do Salgueiro, que estariam levando o Exército a realizar várias operações na comunidade, também contribuiu para a perda de prestígio de 2N junto ao ‘chefão’, que está preso no presídio federal de segurança máxima, em Mossoró, no Rio Grande do Norte.

“Ele, 2N, acabou perdendo prestígio junto à cúpula do Comando Vermelho (CV) e de outros aliados da facção na região. Recentemente ele queria realizar um baile funk numa área na divisa do Luiz Caçador com a comunidade do Buraco Quente (BQ), e para isso tentou usar seu poder de fogo, mas o traficante Formigão não permitiu, dizendo que ele só mandava lá dentro do Salgueiro”, revelou um policial que há alguns anos investiga a atuação de 2N no táfico de drogas.

Veja também