Facção criminosa A.D.A tenta tomar pontos de venda de drogas no Jóquei

Grupo se instalou na Nova Grécia na última semana

Enviado Direto da Redação

 Após a ocupação na comunidade da Nova Grécia, na região de Tribobó, em São Gonçalo, na semana passada, os traficantes da facção "Amigos dos Amigos" (ADA) estão tentando expandir o território aos pontos de venda instalados na área externa do Conjunto Habitacional 'Minha Casa, Minha Vida, no Jóquei, bairro vizinho. Na tarde de ontem, tiroteios deixaram os moradores em pânico, mas não houve saldo de feridos. 

O confronto ocorreu pelo segundo dia consecutivo, repetindo o que já havia ocorrido na noite de anteontem. Segundo investigações de setores de Inteligência da Secretaria de Segurança, os líderes da facção "Amigos dos Amigos (ADA)", de dentro de penitenciárias, teriam decidido expandir o território em algumas áreas de São Gonçalo e Niterói exploradas pelo 'Comando Vermelho' (CV). Para a consolidação do plano, homens e armamentos foram cedidos em comunidades do Rio. 

Em São Gonçalo, a primeira comunidade a ser ocupada foi a Nova Grécia, na quarta-feira da semana passada, ocasião em que duas mulheres foram baleadas. O grupo da 'ADA' chegou a ocupar, nesse mesmo dia, algumas comunidades da região, como a Palha Seca, Berola, e também o Risca Faca, no Campo Novo, mas não permaneceu no local. 

Segundo investigações da polícia, Alessandro Luiz Vieira Moura, o 'Vinte Anos', recém saído do sistema penitenciário, ex-líder da Nova Grécia, foi quem recebeu a missão de liderar o tráfico no local. Outro ex-presidiário, identificado como Fabiano Silva, o 'Xaropinho', é um dos seus principais colaboradores na hierarquia do tráfico. 'Vinte Anos', segundo as investigações da polícia, costuma mandar mensagens a grupos de moradores, através do Whatsapp.        

Violência no Jóquei

No dia 31 de setembro, parte dos moradores do Conjunto Habitacional ‘Minha Casa Minha Vida’, do Jóquei, em São Gonçalo, ficaram sem água por causa da violência. Na tarde daquele dia, houve um novo tiroteio e uma bala perdida furou a tubulação da rede de água, provocando desabastecimento em um dos blocos. Pelo menos cinco mil moradores residem nos imóveis situados no local.

Por coincidência, o tiroteio aconteceu no exato momento em que era sepultado no Cemitério de Pacheco, em São Gonçalo, um jovem morto durante outro confronto, ocorrido naquela mesma semana na área interna de um dos blocos do conjunto residencial. Também em setembro, três jovens e uma mulher acusados de tráfico foram mortos durante operação de PMs do Batalhão de Choque no local. Todos estavam em um dos apartamentos e teriam iniciado tiroteio ao perceber a chegada dos policiais. Um jovem foi preso e a ocorrência foi registrada na 75ªDP (Rio do Ouro).

Veja também