Homem morto pela PM no Rio pode ter tido guarda-chuva confundido com fuzil

Hoje (18), dezenas de pessoas protestaram no Leme

Escrito por Redação 18/09/2018 10:40, atualizado em 18/09/2018 10:35
Objeto confundido com fuzil ficou manchado de sangue
Objeto confundido com fuzil ficou manchado de sangue . Foto: Divulgação

Um garçom, identificado como Rodrigo Alexandre da Silva Serrano, de 26 anos, foi morto com três tiros, ontem (17), durante uma ação policial no Morro Chapéu-Mangueira, no Leme, na Zona Sul do Rio. Moradores da comunidade acusam os PMs de confundirem um guarda-chuva com um fuzil. Um outro homem também foi baleado.

Segundo informações, o garçom e a segunda vítima estavam na Ladeira Ary Barroso quando foram atingidos. Rodrigo levou três tiros e morreu ainda no local. Já o outro rapaz foi atingido com um tiro de raspão nas costas e está fora de perigo. Ele segue internado no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

Na manhã de hoje (18), moradores da Comunidade onde o jovem foi morto fizeram um protesto pelas ruas do Leme. Dezenas de pessoas caminharam pelo bairro carregando o guarda-chuva que teria sido confundido com uma arma e pedindo justiça e investigação pela morte do garçom.

O caso está registrado na 12ªDP (Copacabana) como "auto de resistência".

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas