Traficantes matam homem que pode ter ligação com morte de funcionário da Cedae

Assassinos deixaram um cartaz em cima do corpo

Escrito por Redação 30/07/2018 08:16, atualizado em 30/07/2018 08:13
Corpo foi deixado com um cartaz que dava a entender que ele teria participado da morte de Rômulo
Corpo foi deixado com um cartaz que dava a entender que ele teria participado da morte de Rômulo . Foto: Alex Ramos

Por Marcela Freitas

“Vida se paga com vida. Matou inocente morreu também”. A frase escrita com letras vermelhas em um pedaço de papelão foi deixada, na madrugada de ontem, sobre o corpo de um homem identificado como Julio César de Paula, o Jotinha ou Terrível, de 23 anos, encontrado morto a tiros na Rua dos Eucaliptos, em Maria Paula, São Gonçalo.

Policiais da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) estão apurando a informação de que o homem estaria envolvido na morte do funcionário do Consórcio Módulo, parceira da Cedae, Rômulo Farias Silva, de 24 anos, na última quarta-feira, quando foi até a Rua dos Eucaliptos com um colega para executar uma ordem de serviço.

Moradores do local contaram que Jotinha foi sentenciado e morto pelos traficantes do Campo Novo na noite de sábado. Após ser executado com vários tiros na cabeça, seu corpo foi levado até o endereço onde Rômulo foi morto para que todos tivessem conhecimento do fato. Ainda segundo moradores, outro homem conhecido como RD também teria participado da execução, mas fugiu do local.

Recordando – Rômulo estava em seu terceiro dia de trabalho na empresa. Dois deles, ele passou em treinamento e, na tarde de quarta-feira, ele e um colega de trabalho, mais experiente, foram até a Rua dos Eucaliptos, em Maria Paula, cumprir ordens de serviços, quando foram atacados por traficantes por volta das 13h.

Após ser baleado, Rômulo ainda pilotou sua moto por cerca de 300 metros e caiu. Levado ao Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), ele não resistiu e morreu.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas