Comerciante é morto na porta de casa em São Gonçalo

Caso aconteceu na noite da última sexta-feira

Escrito por Redação 22/04/2018 07:40, atualizado em 22/04/2018 07:35
O comerciante estava dentro de seu carro, quando foi atingido pelos disparos de arma de fogo
O comerciante estava dentro de seu carro, quando foi atingido pelos disparos de arma de fogo . Foto: Divulgação

Por Renata Sena


O comerciante Rogério Luiz de Oliveira, o Rogério do Reboque, de 49 anos, foi executado próximo à comunidade do Pombal, no Porto Novo, em São Gonçalo. O crime ocorreu na noite de sexta-feira, quando a vítima chegava em casa.


Rogério ainda estava dentro do seu carro, um Lifan de cor prata, quando foi atingido pelos disparos de arma de fogo, entre as ruas Carlos Ferreira e Mário Quintão. Segundo testemunhas, ocupantes de um veículo Punto de cor preta foram os responsáveis pela execução do comerciante.


Agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo foram ao local. O corpo de Rogé-rio foi periciado, assim como o veículo e a área onde o crime aconteceu. Imagens de câmeras de seguranças da região estão sendo coletadas e podem ajudar a polícia a identificar os assassinos.


A Polícia Civil ainda não divulgou informações do que pode ter motivado o crime.


O corpo de Rogério foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó, e ontem foi liberado para o sepultamento. A família da vítima não foi localizada para comentar o caso.


Um caso por dia – Pelo menos uma pessoa é assassinada por dia em São Gonçalo, de acordo com dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio de Janeiro. A informação foi baseada nos primeiros três meses do ano, que totalizam 90 dias entre janeiro e março. Nesse mesmo período, somente em São Gonçalo, foram registrados 90 assassinatos na região do 7ºBPM (São Gonçalo).


Todos esses casos são investigados por agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo, que também são responsáveis pelas investigações dos assassinatos em Niterói, Maricá e Itaboraí.


Vale ressaltar que em São Gonçalo, as mortes registradas como autos de resistência, ou mortes decorrentes de intervenção policial, não estão contabilizadas nessa estatística.


Apesar do clima de medo e tensão na cidade ser cada vez maior, o número de assassinatos teve uma pequena queda entre janeiro e março, se comparado com o mesmo período de 2017, quando foram registrados 103 homicídios dolosos, ainda segundo o ISP.


Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas