Taxista é encontrado morto dentro do carro no Jardim Catarina

Polícia Civil trabalha com três diferentes linhas de investigação

Escrito por Redação 22/03/2018 09:00, atualizado em 22/03/2018 08:56
>> Corpo do taxista foi encontrado no banco traseiro do Uno, com facadas no pescoço e peito, e as mãos amarradas
>> Corpo do taxista foi encontrado no banco traseiro do Uno, com facadas no pescoço e peito, e as mãos amarradas . Foto: JD



Outra vítima da onda de violência em São Gonçalo na cidade nas últimas horas foi o taxista Samuel Jamil Ferreira, 37 anos. Morador de Itaperuna, no Noroeste do Estado do Rio, ele foi encontrado morto dentro do próprio carro de trabalho, na noite de terça-feira, no Jardim Catarina, em São Gonçalo. Samuel havia sido contratado para fazer uma corrida de cerca de 360km, de sua cidade até Niterói, na tarde de segunda-feira, e desde então não havia sido mais visto por familiares e amigos.


O corpo de Samuel estava no banco traseiro de seu Uno táxi, placa HMF-2850, com as mãos amarradas por um cabo USB, na Rua Padre Vieira, na altura do número 16. Por volta das 20h30, agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) foram acionados para realizar perícia e constataram que a vítima foi morta com dois golpes de faca no pescoço e peito.



De acordo com a apuração da especializada, Samuel foi contratado para fazer uma corrida com destino para Niterói, na tarde do último dia 19. Por volta das 16h, há registro de câmeras do carro dele passando por Macaé. Por volta desse horário teria sido a última vez que ele falou com um familiar, avisando que estava seguindo a viagem. Três horas depois, às 19h53, um radar em Rio Bonito flagrou o veículo passando em alta velocidade.



De acordo com o delegado da DHNISG, Allan Duarte, responsável pelas investigações, o taxista não chegou em seu destino final.



“Já temos três linhas de investigação, mas não irei divulgar agora para não atrapalhar o nosso trabalho, que está bem encaminhado, e dois principais suspeitos. Também temos equipes buscando imagens de câmeras de segurança na rua onde o corpo foi encontrado. Estamos em contato com a delegacia de Itaperuna para pegar imagens que tenham flagrado a saída da vítima desde lá até aqui, para rastrear todo o trajeto da vítima, além de fazermos contato com amigos e familiares para confirmarmos essas linhas de investigação. A perícia está tentando constatar se houve luta corporal entre vítima e autor”, explicou o delegado.



Samuel trabalhava há mais de 10 anos como taxista, fazendo ponto na frente do Hospital São José do Avaí, principal hospital de Itaperuna. Ele deixou a viúva e uma filha de 1 ano.



Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas