Capitão do Exército tem dia de fúria em agência dos Correios em Maricá

Militar ameaçou se matar caso não recebesse uma encomenda

Escrito por Redação 09/03/2018 08:44, atualizado em 09/03/2018 08:32
Militar só se entregou após negociar rendição com o Bope
Militar só se entregou após negociar rendição com o Bope . Foto: Leonardo Ferraz

Por Thuany Dossares

A insatisfação de um capitão do Exército, de 32 anos, com serviços prestados pelos Correios por pouco não acabou em tragédia, na manhã de ontem. O militar foi armado até uma agência de Maricá, e ameaçou se matar, caso não recebesse uma encomenda postada, gerando pânico.

De acordo com a polícia, o militar chegou por volta das 10h30 em seu carro, uma Parati prata, numa distribuidora dos Correios, em Itapeba, exigindo que o produto que ele havia encomendado fosse entregue.

Ao ser informado que já haviam tentado realizar a entrega e que a mercadoria havia retornado para a central de distribuição em Benfica, Zona Norte do Rio, o capitão foi até o carro, pegou sua pistola e uma corrente, e disse que só sairia do local com a encomenda ou morto.

“Ele não fez nada com ninguém, mas só de vermos uma pessoa fora de si e armada, ficamos com medo. Não sabíamos o que poderia fazer. Ele estava muito nervoso. Graças a Deus estamos bem, mas o susto foi bem grande”, falou uma funcionária que optou pelo anonimato.

Os funcionários se desesperaram e policiais do 12ºBPM (Niterói) foram acionados. Em seguida, PMs do Batalhão de Operações Especiais (Bope) também foram chamados para negociar a rendição do capitão.

“Ele teve uma mercadoria extraviada aqui nessa unidade e o produto voltou para o remetente, causando insatisfação. Ele está na ativa e recentemente perdeu a mãe, estando psicologicamente abalado. Ele estava com a própria arma e não fez ninguém de refém, não apontou para ninguém, só ameaçou tentar contra a própria vida. Suicídio não é crime”, explicou o tenente Felipe Coutinho, do 12ºBPM.

O militar entregou a arma para os PMs e só saiu dos Correios na ambulância do Exército, sendo encaminhado para o hospital da corporação.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas