Exército chega a São Gonçalo e PMs ainda não sabem como agir

Forças armadas ocuparam pontos da BR-101

Escrito por Redação 20/02/2018 08:27, atualizado em 20/02/2018 08:25
Tropas do Exército ocuparam acessos da BR-101, na noite desta segunda-feira
Tropas do Exército ocuparam acessos da BR-101, na noite desta segunda-feira . Foto: Luiz Nicolela

Cinco dias após o presidente Michel Temer assinar decreto de intervenção federal na Segurança Pública do estado do Rio, policiais civis e militares seguem sem saber o que está por vir. Mas agora, além de estarem desorientados, os agentes também estão com outro sentimento: insegurança.

“A intervenção federal continua uma incógnita para a gente. Até agora não tivemos nenhum posicionamento de como ficará a nossa situação e isso é péssimo. Ficamos com medo de agir, porque ainda não sabemos a quem devemos satisfação, como serão essas mudanças, o que pode acontecer caso ocorra algo fora do planejado numa operação. Gera uma insegurança no trabalho”, desabafou um oficial da PM.

De acordo com informações extraoficiais, a PM não está autorizada a planejar operações no interior de comunidades, podendo apenas fazer patrulhamentos de rotina. “Ainda não estamos autorizados a operar em favela, realizar ações que possam gerar confrontos e, consequentemente, vítimas, porque não sabemos como ficarão as ocorrências”, declarou outro oficial.

Ontem à noite militares do Exército podiam ser vistos na BR-101, que corta Niterói, SG e Itaboraí. Em uma das entradas do Jardim Catarina, soldados do Exército revistavam pedestres e ônibus. Mas, nenhum oficial foi encontrado na ação para falar com OSG.

Mais uma vez questionados sobre se já havia algum planejamento para o policiamento na região, como serão realizadas as ações e de que forma acontecerá a integração com as polícias civil e militar, o Comando Militar do Leste seguiu sem se pronunciar.

Com a intervenção federal, o comando das forças de segurança passa a ser do general Walter Souza Braga Netto, chefe do Comando Militar do Leste, responsável por coordenar, controlar e executar as atividades administrativas e logísticas do Exército no Rio, Minas Gerais e Espírito Santo.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas