Polícia procura seguranças de 'TH' envolvidos em morte de policial em São Gonçalo

Traficante e PM balearam um ao outro

Escrito por Redação 18/01/2018 08:10, atualizado em 18/01/2018 08:10
>> Familiares, amigos e colegas de farda comparecerem ao enterro do soldado PM, na tarde de ontem
>> Familiares, amigos e colegas de farda comparecerem ao enterro do soldado PM, na tarde de ontem . Foto: Luiz Nicolela


Logo após o assassinato do soldado da PM Marcos Vinicius da Silva Alves Azeredo, de 35 anos, o Portal dos Procurados do Disque-Denúncia divulgou o cartaz “Quem Matou?” para conseguir informações que auxiliem a polícia na identificação dos envolvidos no crime. As investigações estão sendo feitas pela 72ªDP (Mutuá), onde o caso foi registrado.


O militar, que era lotado no Grupamento de Polícia Ferroviária (Gpefer), foi morto no final da tarde de terça-feira, quando ia cortar o cabelo junto com o irmão, que também é PM, na Rua Clementina Vieira, altura da Praça do Galo Branco, em São Gonçalo - lugar onde foram nascidos e criados. Ao entrar na barbearia, Azeredo foi reconhecido por Thiago Machado de Oliveira, o TH, de 33 anos, que segundo a polícia, seria o atual líder do tráfico de drogas do Morro da Chumbada, no mesmo bairro.


TH sacou uma arma e o soldado entrou em luta corporal. Três ‘soldados’ do traficante que estavam do lado de fora do estabelecimento fazendo sua segurança começaram a atirar e fugiram. Durante a confusão, o bandido e o policial teriam se baleado mutuamente.


TH morreu no local. Azeredo foi socorrido pelo irmão no carro que os criminosos deixaram para trás, um Chevrolet Ônix preto, que está em situação legal, e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres (HEAT), no Colubandê, onde morreu.


Emoção no último adeus à vítima


Cerca de mil pessoas, entre familiares, amigos e colegas de corporação, estiveram presentes no Cemitério Parque da Paz, no Pacheco, em São Gonçalo, para prestar as últimas homenagens ao soldado da PM Marcos Vinicius da Silva Alves Azeredo, de 35 anos.


O sepultamento ocorreu sob sol forte e foi marcado por muita comoção de todos os presentes, que homenagearam o militar com camisas personalizadas e várias salvas de palmas.


Estiveram presentes, ainda, militares do 7ºBPM (São Gonçalo), 5ºBPM Praça da Harmonia), do Batalhão de Ações com Cães (Bac) e do Grupamento de Polícia Ferroviária (GPFer), onde Marcos Vinicius estava lotado.


Abalados, familiares não estavam em condições de dar declarações à imprensa. Indignado com o caso, o coronel Fernando Salema, do Comando de Policiamento Especializado (CPE), lamentou a perda de mais um integrante da PM e falou sobre necessidade de mudanças.


“Nós vemos, pela quantidade de pessoas que têm aqui hoje, o quanto ele era querido. Nós, da PM, às vezes nos sentimos impotentes, pois nosso poder de reação hoje é limitado, e não podemos dar uma pronta resposta. Apesar de o criminoso também ter morrido, a perda para a sociedade é muito maior. Que a população se posicione também para mudar essas leis, pois prendemos o mesmo marginal várias vezes e isso acaba dando à criminalidade um certo empoderamento, o que não pode acontecer”, declarou.


Informações podem ser passadas sob sigilo


Quem tiver qualquer informação a respeito da localização dos envolvidos pode informar pelos seguintes canais: WhatsApp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; Facebook /procurados.org; e pelo aplicativo Disque Denúncia RJ.  O sigilo é garantido.




Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas