Travesti morre após ser espancada por 10 traficantes no Jardim Catarina

Escrito por Redação 24/02/2017 22:28, atualizado em 25/02/2017 09:00
Camila será sepultada hoje
Camila será sepultada hoje . Foto: Dovilgação

Bruno de Souza Magalhães, 22 anos, que adotou o nome de travesti Camila, morreu na tarde de quinta-feira, em consequência de um brutal espancamento sofrido na madrugada da última quarta, na Rua 39, no Jardim Catarina, em São Gonçalo. Ela só não foi executada no local, porque um pastor viu a cena e implorou pela vida do jovem.

Segundo familiares, Camila teria sido pega por traficantes da Rua 39 que a acusaram de praticar pequenos furtos no bairro. “Um pastor passou no local e viu mais de 10 homens batendo nele já no chão. O religioso implorou pela vida dele”, contou um parente.

No dia da agressão, a vítima foi socorrida e encaminhada ao Pronto Socorro de São Gonçalo, no Zé Garoto, mas acabou sendo liberada depois de ser submetida a alguns exames.

“Os médicos realizaram apenas alguns exames e ele foi liberado, mesmo com muitas dificuldades para respirar. Precisamos correr para outro hospital, onde disseram que já tinha passado mais de seis horas e que não poderiam fazer mais nada. Foi uma sucessão de erros. Se tivessem trabalhado da forma correta, meu irmão poderia estar vivo agora”, comentou um promotor de vendas, irmão da vítima.

Camila era conhecida no local onde morava com a família e muito querida na região. “Ele era uma pessoa muito boa. Tentamos dar conselhos e até internar por conta da dependência química, mas ele nunca aceitou ajuda”, desabafou o irmão mais velho.

O corpo de Camila será enterrado hoje no Cemitério Municipal de Pacheco, em São Gonçalo.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas