Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Padre lamenta vandalismo e intolerância religiosa em capela em Niterói

Caso foi registrado na 81ª DP (Itaipu)

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 03 de abril de 2023 - 17:41
"É uma situação triste e também de impotência e covardia", lamenta o padre
"É uma situação triste e também de impotência e covardia", lamenta o padre -

Pároco da capela vandalizada em Niterói, o padre Luiz Cássio Moreira comentou o caso de depredação enfrentada na Capela de Santa Teresinha do Menino Jesus, em Camboinhas, Niterói. Em conversa com o OSG, o padre, que está a frente do local há 11 anos, disse que nunca imaginou encontrar sua comunidade depredada sem motivos como encontrou nos últimos dois dias.

O espaço, localizado na Praça Burle Marx, foi alvo de depredações no último domingo (02/04) e na madrugada desta segunda-feira (03/04). "Nunca tinha tido nada. No dia 27 de dezembro, nós fomos furtados pela primeira vez, entraram na igreja e furtaram uma televisão e uma mesa. E agora, nesse intervalo de praticamente um dia, passamos por tudo isso", conta o padre, que imagina que se trate de um caso de manifestação de intolerância religiosa.

Os atos de vandalismo começaram na madrugada de ontem (02/04). Nenhum objeto foi furtado, mas a mão de uma estátua da Nossa Senhora do Sorriso foi quebrada e alguns adesivos de santas foram rasgados. Também no domingo, os bancos externos da capela foram encontrados sujos de urina e os vidros da igreja e do carro da capela quebrados.

Hoje (03/04), uma estátua de Santa Teresinha foi encontrada quebrada e abandonada no chão. Policiais civis e militares estiveram no local. A capela foi periciada e a 81ª DP (Itaipu), que registrou a ocorrência, está investigando o caso.

"A gente está lá, sem mexer com ninguém. A gente está fazendo o bem, temos diversas ações sociais. E sofremos uma coisa assim. É uma situação triste e também de impotência e covardia", define o pároco.

Imagens de câmeras de segurança próximas ao local já foram solicitadas pela equipe da investigação. Até o momento, não há suspeitos.

Matérias Relacionadas