Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Mulheres denunciam radiologista por importunação sexual durante exames no Rio

Entre ontem (2) e hoje (3), delegacia em Copacabana recebeu cinco denúncias

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 03 de março de 2023 - 15:43
12ªDP Copacabana
12ªDP Copacabana -

O médico radiologista Martinho Gomes de Souza Neto teve mais de cinco denúncias feitas por mulheres na 12ªDP entre quinta-feira (2) e, hoje, sexta-feira (3). Ele foi preso em flagrante. 

Uma das vítimas contou ter sido importunada, na última quarta-feira, mesmo dia em que a influencer digital Cris Silva, de 26, foi vítima de crime de violência sexual durante um exame.

O caso está tramitando em sigilo na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), no Centro do Rio.

Cris, que já passou por abuso sexual na infância, diz ter ficado aliviada após a prisão do acusado, em entrevista ao EXTRA. 

"Gente, estou muito emocionada, porque descobriram que eu não fui a primeira pessoa que ele fez isso. A delegada falou que ele tá preso. Não tem fiança. Estou muito aliviada porque na infância eu sofri abuso. Eu era só uma criança. E eu prometi a mim mesmo que quando crescesse, se alguém fizesse isso comigo de novo, eu ia ter forças para denunciar. Estou muito orgulhosa de mim. Esse choro é de alívio, tipo assim, de felicidade, de que não vai acontecer com mais ninguém", disse Cris, que é influencer e resolveu expor seu rosto e contar sua história.

Embora Neto negue a acusação, todas as cinco vítimas prestaram depoimento na delegacia. 

Cris contou que foi até a uma clínica, na última quarta, para fazer uma mamografia, após ter comprado um pacote de exames. Ela informou ter sido convencida pelo suspeito a fazer também um exame ginecológico, que estava programado para ocorrer em outro dia. A vítima afirmou que, durante o procedimento, o médico havia identificado um cisto. E que para ele conseguisse visualizá-lo, ela deveria se estimular sexualmente.

"Eu toquei o meu estômago, mas ele falou que eu precisava me estimular. Eu falei que não queria mais fazer aquele exame e ele segurou no meu braço e disse que iria terminar o exame. Nisso, alguém bateu na porta. Eu aproveitei para correr para o banheiro, onde vesti minha roupa", contou.

Ela conta, ainda, que chegou a informar à recepcionista do médico, que não teve nenhuma reação. O acusado será submetido a uma audiência de custódia, nesta sexta-feira (3) e caberá ao juiz decidir se ele continuará preso ou se responderá pelo crime em liberdade.

Matérias Relacionadas