Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar up 5,2864 Euro up 5,3726
Search

Modelo revela nas redes sociais que foi estuprada por Bruno Krupp

De acordo com a modelo, caso aconteceu há seis anos

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 04 de agosto de 2022 - 08:56
Modelo incentivou outras mulheres a denunciarem casos de abuso cometidos pelo modelo
Modelo incentivou outras mulheres a denunciarem casos de abuso cometidos pelo modelo -

A modelo Priscila Trindade contou em seu perfil no Instagram, nesta quarta-feira (3), que foi estuprada pelo modelo e influenciador digital Bruno Krupp, que foi preso e está sob custódia no Hospital Marcos Moraes, no Méier, na Zona Norte do Rio, por ter atropelado e matado o adolescente João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos, na Barra da Tijuca. 

Segundo Priscila, o caso aconteceu há seis anos, na casa de Bruno, em Niterói, depois de uma festa. Ela contou que Bruno tentou ainda filmar o ato. A modelo revelou que, depois do abuso, foi desencorajada a contar o que aconteceu. 

Segundo ela, os dois se conheceram numa roda de amigos, flertaram e depois seguiram para a casa dele, em seguida para a festa. O modelo primeiramente teria deixado Priscila no local porque ele iria mais tarde. Depois, com os dois na festa, Priscila teria pedido para ir para casa devido ao cansaço. Ela aceitou ir para a casa de Bruno porque mora no Rio e ficaria longe e também tarde para voltar para onde mora. Bruno levou a modelo para a casa dele e depois teria voltado para a festa novamente.

"Eu o conheci em uma roda de amigos, flertamos e, depois de alguns flertes, aceitei ir até a casa dele em Niterói para irmos a uma festa. Cheguei na festa e curti com algumas amigas minhas que chegaram lá". Depois de voltar para casa às 6h da manhã, Bruno teria agarrado Priscila a força, como conta a modelo. 

"Ele chegou bêbado às seis da manhã e me pegou à força. Falei várias vezes para ele parar e ele literalmente me forçou. Forçou mesmo. Depois de muito relutar, cedi e foi horrível. Era muito constrangedor porque, se eu gritasse, iria acordar a casa inteira e não tive coragem de ter uma atitude mais drástica. Fiquei chateada, mas ele falava tanta coisa idiota que eu só pensava em ir embora", continuou a modelo.

A modelo contou que se sentiu encorajada a revelar o caso depois de descobrir que uma outra mulher registrou uma denúncia por estupro contra  o modelo na Delegacia da Mulher (DEAM), de Jacarepaguá. Ela também encorajou outras pessoas a fazerem o mesmo.

"Se eu soubesse que já havia denúncia contra ele, eu teria feito com certeza! Foi em julho (a denúncia). A realidade é que denunciar na delegacia ajuda, mas a exposição por aqui me parece ter uma potência maior. Eu tenho certeza de que deve ter acontecido com muitas outras mulheres. Se aconteceu comigo há anos atrás e até esse ano ele ainda estava fazendo a mesma coisa, é porque era um padrão dele", afirmou.

No mês passado, uma mulher de 21 anos registrou uma queixa de estupro contra Bruno na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá. Ela contou em depoimento que os dois tiveram uma relação sexual sem consentimento enquanto ela estava na casa do influenciador. Ela contou ainda que consumiu bebida alcoólica, mas não estava vulnerável, e pediu para que Bruno parasse com o ato sexual, o que não aconteceu. De acordo com a ocorrência, a mulher foi encaminhada para o IML. Krupp nega as acusações.

O modelo também foi acusado de estelionato em abril de 2021. Em depoimento, a gerente do Hotel Nacional afirmou que ele oferecia diárias mais baratas do que no site do estabelecimento e, para que a compra fosse efetuada, os clientes deveriam transferir o dinheiro para uma conta divulgada pelo modelo. Com o dinheiro em mãos, Krupp realizava o pagamento das reservas com cartões clonados. De acordo com a gerente, o prejuízo foi estimado em R$ 428 mil e Bruno teria conseguido sair do hotel antes de descobrirem a fraude.

Matérias Relacionadas