Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down 5,4894
Search

Engenheiro mata esposa e enterra corpo no quintal de casa

Casal estava junto há quatro anos

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 19 de maio de 2022 - 10:34
Ana Julia Mathias Thurler Alvarenga, de 22 anos
Ana Julia Mathias Thurler Alvarenga, de 22 anos -

O corpo da professora Ana Julia Mathias Thurler Alvarenga, de 22 anos, foi encontrado enterrado no quintal de sua própria casa no bairro Corumbá, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, nesta quarta-feira (18). Ela estava desaparecida desde a última segunda-feira (16) quando saiu do trabalho.

Segundo a Polícia Civil, Ana Julia foi assassinada pelo próprio marido, o engenheiro Jessé de Souza Cunha. O acusado chegou a registrar o desaparecimento da esposa na 58ª DP (Posse) e promover buscas pela vítima, a fim de afastar qualquer suspeita. Ainda de acordo com as investigações, a mulher teria sido morta com requintes de crueldade.

Ana Julia era professora da rede municipal de Nova Iguaçu. Imagens de câmeras de segurança nos arredores de sua casa mostram o momento em que ela chega em casa do trabalho e não sai mais. A investigação também identificou que o sinal telefônico do aparelho celular da vítima estava dentro da residência.

Após ser confrontado com as imagens das câmeras de segurança e o depoimento de testemunhas, Jessé confessou o crime e levou os investigadores ao local onde a professora estava enterrada. Mediante realização de perícia, os agentes constataram que o corpo era mesmo de Ana Julia e o encaminharam ao Instituto Médico Legal (IML) de Nova Iguaçu.

O assassino foi preso em flagrante por feminicídio e ocultação de cadáver. Ele passará por uma audiência de custódia na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Oeste do Rio, nesta quinta-feira (19). O velório e enterro da professora ainda não tem data marcada.

Muito abalada, uma amiga de infância da vítima, que pediu para não ser identificada, contou que o casal estava junto há quatro anos e que a Ana Julia nunca havia relatado agressões ou brigas com o engenheiro, que aparentava ser “bem calmo, nunca se mostrava estressado”.

“Ela nunca reclamou do relacionamento. Nunca falou que tinha sido agredida ou algo do tipo. Ele é bem calmo, nunca se mostrava estressado, sempre manso, falava baixo. Foi uma surpresa saber que foi ele que matou a minha amiga.”, relatou ela.

Matérias Relacionadas