Fábrica clandestina detinha 12 pessoas em situação de escravidão na Baixada

As vítimas eram dos estados do Tocantins e Goiás e trabalhavam no local executando a troca dos rótulos e tampas de garrafas

Escrito por Redação 19/04/2022 22:04, atualizado em 19/04/2022 22:04
A fábrica clandestina foi fechada e até o momento, ninguém foi preso
A fábrica clandestina foi fechada e até o momento, ninguém foi preso . Foto: Divulgação/Polícia Militar

Os policiais do 24º BPM (Queimados) fizeram o resgate de 12 pessoas que estavam vivendo em situação análoga à escravidão dentro de uma fábrica clandestina de cerveja, localizada na Vila São João, em Queimados, Baixada Fluminense.

A ocorrência já tinha sido registrada na sexta-feira (15), na 55º DP (Queimados). Segundo a PM, algumas equipes foram acionadas visando a verificação dos produtos irregulares que a eram feitos nesse galpão, que calhou de ser o local onde as vítimas estavam sendo mantidas.

Ao chegar no local, os policiais se depararam com o galpão fechado, porém demostrando que existiam pessoas dentro do interior, até fizeram contato visual com alguns deles. Foi informado a PM que eles estavam sem condições de abrir o portão porque estavam trancados.

Logo em seguida, os PMs obtiveram acesso ao interior do local, confirmando a denúncia que eles receberam. Ainda no local, garrafas cheias, com rótulos e tampas de muitas marcas de cerveja.

Segundo os investigadores, as pessoas são do Tocantins e Goiás, trabalhando durante o dia na fábrica clandestina, executando a troca de rótulos e das tampinhas das garrafas e eram impedindo de sair do local ao anoitecer. Foi dado pelos PM’s amparo e a local já passou pela perícia e se encontra interditado. Até o momento nenhuma prisão foi executada.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas