Homem é preso por envolvimento na morte de advogado em 2020

Josiel Roberto Silva Oliveira, vulgo 'Russo', foi preso na última quarta-feira (13), na Favela da Varginha, em Manguinhos, Zona Norte de Rio

Escrito por Redação 16/04/2022 12:28, atualizado em 16/04/2022 12:28
"Russo" foi preso sob acusação de  participar da morte de um advogado
"Russo" foi preso sob acusação de participar da morte de um advogado . Foto: Divulgação

Josiel Roberto Silva Oliveira, vulgo Russo, de 31 anos, oriundo do município de Gurinhém, no Estado da Paraíba, foi preso na última quarta-feira (13), na Favela da Varginha, em Manguinhos, Zona Norte de Rio, por policiais militares da Superintendência de Inteligência e Analise (SIA) da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), com colaboração do WhatsApp dos Procurados do Disque Denúncia. Ele era procurado pela Justiça do Estado da Paraíba pelo crime de Latrocínio (roubo seguido de morte), sob acusação de envolvimento na morte de um advogado em setembro de 2020. Na época, o caso foi de grande repercussão no estado. A vítima era irmão de um Delegado da Policia Civil do Pará. 

O advogado Alexandre Guedes Hortêncio de Lima, que estava desaparecido desde o dia 25 de setembro de 2020, após sair para tentar vender um carro em João Pessoa, na Paraíba, foi encontrado morto, doze dias após seu desaparecimento. A confirmação de que se tratava do advogado foi divulgada pela Superintendência da Polícia Civil em João Pessoa. O veículo da vítima foi encontrado incendiado no bairro de Mangabeira, que fica na zona sul da capital.

O corpo do advogado foi localizado enterrado em uma casa no distrito de Jacumã, que fica no município de Conde, Litoral Sul da Paraíba. Os restos mortais estavam enterrados ao lado de uma piscina. Segundo a perícia, o advogado foi morto com requintes de crueldade. No corpo, havia marcas de disparos de arma de fogo. Ele estava amarrado com um objeto conhecido como “enforca gatos” nas mãos, pés e pescoço.

Em 2012, Russo foi preso próximo ao Cemitério do Caju, na Avenida Brasil, no Caju, Zona Norte do Rio, após roubar a bolsa de uma vítima, onde havia documentos, telefone celular, e cartão da Rio Card. Quando de sua prisão, na ultima quarta (13), ele estava condição de Evadido do Sistema Penitenciário do Rio de Janeiro, desde 2014, após receber o benefício do Indulto, onde respondia pelo crime de Roubo Majorado (Artigo 157, § 2º do CP). 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas