Filhos de Flordelis são julgados em audiência nesta terça-feira (12)

O advogado de um dos réus passou mal e precisou se ausentar

Escrito por Ana Carolina Moraes 13/04/2022 08:50, atualizado em 12/04/2022 13:49
O julgamento segue ao longo do dia
O julgamento segue ao longo do dia . Foto: Layla Mussi

Teve início nesta manhã de terça-feira (12) o julgamento dos filhos da ex-deputada federal Flordelis. Estão sendo julgados os réus Adriano dos Santos Rodrigues, filho biológico da deputada; Carlos Ubiraci Francisco da Silva, filho afetivo de Flordelis; o ex-PM Marcos Siqueira Costa e sua esposa Andrea Santos Maia. Um outro filho afetivo da deputada, André Luiz de Oliveira, também seria julgado hoje, no entanto, seu advogado teve problemas de saúde e seu caso precisou ser adiado. Todos os acusados serão julgados por júri popular. 

Carlos é acusado de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio e associação criminosa armada. Ele é supostamente um dos envolvidos na morte do pastor Anderson do Carmo, que ocorreu em junho de 2019. Assim como Flordelis, suas filhas Simone dos Santos Rodrigues e Marzy Teixeira da Silva, e sua neta Rayane dos Santos Oliveira, que irão a júri popular em uma segunda audiência, no dia 9 de maio. 

Já Marcos Siqueira, Andrea Santos, e Adriano dos Santos são acusados de associação criminosa e uso de documento falso, já que teriam supostamente forjado uma carta fingindo ser Lucas Cézar dos Santos de Souza, filho de Flordelis. Na carta, Lucas afirmava que era o autor de todo o crime cometido contra o padrasto, no caso, Anderson. 

 

Quatro pessoas estão sendo julgadas
Quatro pessoas estão sendo julgadas | Foto: Layla Mussi
 

A audiência desta terça-feira foi comandada pela juíza Nearis dos Santos Arce, que atua na 3ª Vara Criminal de Niterói. No local, estavam presentes algumas testemunhas de acusação como a Doutora Bárbara Lomba Bueno e o Doutor Allan Duarte Lacerda, delegados de polícia que investigaram o assassinato de Anderson; além de filhos de Flordelis e dos réus, como Raquel dos Passos da Silva (filha de Carlos Ubiraci), Daniel dos Santos de Souza (filho da ex-deputada); Alexsander Felipe Matos Mendes (filho afetivo de Flordelis), Daiane Freires (filha afetiva da pastora) e outros. Ao todo, serão 12 testemunhas de acusação e seis de defesa.

No início da audiência do caso, os advogados da família de Anderson do Carmo e de Flordelis conversaram com a imprensa. A advogada Janira Rocha, defensora de Flordelis e de mais duas acusadas do caso, informou que a sua idade na audiência de hoje, mesmo que não tenha a ver com suas clientes, vai ajudar na sua defesa a favor da ex-deputada. 

"Estar aqui é parte da nossa estratégia para provar a inocência da Flordelis. A defesa da pastora vai apresentar um conjunto de questões que respondem a duas coisas que acreditamos ser fundamentais: primeiro, que a acusação e a certeza de que ela é culpada se baseia nos depoimentos dos filhos dela, com alguns filhos tendo dito que ela é culpada. No entanto, ela têm vários filhos e a grande maioria deles ainda afirma que ela é inocente. Então acreditamos que esse núcleo de filhos (que afirma que ela é a mandante do crime) têm interesses que ainda não foram ditos, que ainda não foram revelados. Outra coisa diz respeito ao perfil do próprio pastor, queremos demonstrar quem era o próprio pastor, que tipo de práticas ele teve dentro da casa, com as mulheres da casa. (...) Então, a defesa das acusadas quer fundamentalmente levantar algumas questões centrais que, se forem elucidadas, vão demonstrar no próximo júri aonde está realmente a responsabilidade do caso e vão demonstrar o motivo, o interesse de quem quer esconder essas questões relacionadas aos filhos dela, aos abusos sexuais, emocionais, patrimoniais que foram praticados naquela casa, inclusive contra mulheres", afirmou.

Logo em seguida, o advogado Ângelo Máximo, responsável por defender os interesses da família de Anderson no caso, afirmou que as alegações da colega eram inverídicas. “Eu cheguei aqui agora e encontrei a minha nobre colega falando de abuso sexual. Acho que isso é uma das teses das mais covardes que se tem, em apresentar ao Tribunal do Júri atacando a pessoa da vítima que não está mais aqui para se defender. Todas as mulheres da casa foram ouvidas em sede policial e nenhuma delas reclamaram de abusos sexuais. Autoridades policiais ouvidas aqui neste juízo já foram indagadas por mim e também confirmaram a negativa de quaisquer pessoas da casa sobre abuso sexual. E se houvesse, a Flordelis teria participação. Que mãe é essa que sabe de abusos e não faz nada? Atacar a pessoa da vítima é fácil. Quero ver reverter toda a prova no processo que tem e mostra que ela é a mandante com a participação de todos os filhos que serão julgados”, afirmou ele, acrescentando que o caso deixou um rastro de destruição, pois, após o crime, morreram alguns parentes de Anderson, como sua mãe, Maria Edna. 

O advogado espera que todos sejam condenados. “Espero que todos saiam condenados daqui hoje. E, para alcançarmos a Justiça por completo que será no dia 9 de maio, não pode haver absolvições”, concluiu ele. 

O julgamento não tem uma expectativa de término até o momento, podendo se estender por dias.

Em novembro do ano passado, dois dos filhos da ex-deputada foram condenados à prisão pelo envolvimento na morte de Anderson. Flávio dos Santos Rodrigues teria atirado na vítima e Lucas Cézar dos Santos de Souza teria comprado a arma do crime.

 

A audiência é comandada pela juíza Nearis dos Santos Arce
A audiência é comandada pela juíza Nearis dos Santos Arce | Foto: Layla Mussi
 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas