Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down
Search

Família busca adolescente de 15 anos desaparecido no Rocha, em São Gonçalo

Polícia se negou a registrar desaparecimento mesmo após meses do ocorrido

relogio min de leitura | Escrito por Renata Sena | 02 de setembro de 2021 - 12:15
Cauã Wendel Silva foi visto pela última vez em junho deste ano
Cauã Wendel Silva foi visto pela última vez em junho deste ano -

Desaparecido desde o dia 26 de junho, Cauã Wendel Silva de Oliveira, de 15 anos, morador do Rocha, em São Gonçalo, ainda não foi localizado pela família. 

Apesar de inúmeras divulgações em redes sociais, nenhuma informação sobre o paradeiro do jovem foi passada para os familiares. 

Embora a família já tivesse buscado ajuda em delegacias distritais, eles só conseguiram registrar o caso na manhã desta quarta-feira (02), pois anteriormente a polícia se negou a registrar o caso alegando que não havia crime, já que o jovem saiu de casa sozinho. 

Contudo, por se tratar de um menor de idade, a família conseguiu realizar o registro de ocorrência na Divisão de Homicídios (DHNISG),  no setor de descoberta de paradeiros. 

Segundo o pai do menino, aos 10 anos Cauã perdeu a mãe - que se afogou ao fazer uma selfie e ser atingida por uma onda, em Maricá. A partir dessa data o menino, que sempre morou com a avó paterna, começou a apresentar comportamento estranho. 

O jovem gosta de compor funk, e, segundo o pai, é conhecido como KW, pelos amigos da música. Cauã frequentava a escola, de forma normal, mas estava estudando de forma remota e demonstrando cada vez menos interesse pelo método de ensino a distância.  

"Eu acho que ele planejou e tem alguém ajudando. Porque ninguém vai ficar fora de casa por dois meses sem se comunicar. Ele dizia que queria ser da música, mas eu sempre deixei claro que até para ser artista teria que estudar ", disse o pai do jovem, Jorge Fabrício Cardoso, 35 anos, que perdeu o emprego por causa das buscas pelo filho. 

"Ao mesmo tempo que eu acho que ele saiu por que quis, eu fico preocupado, pois ninguém consegue se manter na rua por tanto tempo. É minha obrigação como pai buscar ajuda e notificar a polícia do ocorrido". 

A família já comunicou o Conselho Tutelar, o colégio do adolescente e a polícia. Eles pedem para que qualquer informação seja repassada para a polícia ou para a família através do número: 021- 998412698.

Matérias Relacionadas