Vendedora é demitida após denunciar assédio do chefe em 'sala da sarrada'

Em meio a uma crise de ansiedade, Anna Paula foi demitida por justa causa

Escrito por Redação 14/08/2021 10:23, atualizado em 14/08/2021 11:19
Anna Paula usou sua rede social para expor a situação
Anna Paula usou sua rede social para expor a situação . Foto: Divulgação

Vendedora da Tim do Norte Shopping, Anna Paula Oliveira, de 31 anos, foi demitida após denunciar uma tentativa de estupro em local apelidado como "sala da sarrada". O caso aconteceu no Rio de Janeiro, no dia 15 de abril, como conta a funcionária em seu perfil do Instagram. 

“Entrei na cozinha como de costume, subi para beber água e fui pega de surpresa pelo meu colega de trabalho, um consultor igual a mim, e meu gerente-geral. Apagaram a luz e fui empurrada para o gerente. Minha mente paralisou na hora, não conseguia assimilar por que comigo e o por quê de estarem fazendo aquilo, foram minutos angustiantes. Ele passou a mão no meu corpo, ele pressionava tão forte o seu corpo contra o meu e beijava o meu pescoço de forma rígida e rápida, enquanto continuava passando a mão no meu corpo, enquanto eu pedia para ele parar e quando vi que seria dali para pior”, detalhou Anna Paula. 

Anna relatou que a situação não evoluiu por conta da intervenção da colega. Ela começou a gritar por socorro e a amiga foi ajudá-la mas ao tentar abrir a porta, não conseguiu. 

"Eles que me trancaram aqui’. Em todo, momento eles riam e minha agonia só aumentava, até que essa colega do trabalho falou: ‘Denuncia eles’. Foi quando abriram a porta e eu consegui sair.”

Ainda conforme o delegado explicou ao UOL, os dois funcionários negaram as acusações. “A empresa conduziu muito mal, simplesmente não apurou. Ela denunciou no canal interno e a empresa ficava sempre pedindo mais detalhes, ela falando, não querendo se identificar. Quando ela se identificou e identificou quem fez, o gerente da loja tomou conhecimento”.

Anna diz que desenvolveu depressão e crise de ansiedade pelo episódio. Ela abriu denúncia interna na TIM. Seu gestor teve acesso e passou a ameaçá-la de demissão caso ela não retirasse a queixa.

A empresa pediu que ela se transferisse para a loja do New York City Center, na Barra da Tijuca. Em meio a uma crise de ansiedade, a mulher foi demitida por justa causa.

“Para minha surpresa, o gerente falou que a coordenadora estava na loja e queria falar comigo”, lembrou. “Ela subiu e me demitiu por justa causa, no meio de uma crise de ansiedade, e de forma humilhante, falando sobre eu ter ferrado a honra dos meus superiores e colegas de trabalho, quebrando assim o código de ética da TIM.”

Em nota, a TIM repudia qualquer situação de assédio e esclarece que o caso encontra-se sob apuração sigilosa por parte das autoridades competentes, motivo pelo qual tem se mantido respeitosamente silente.

A empresa lamenta a situação exposta pela ex-colaboradora e informa que entrou em contato com ela para prestar apoio e suporte psicossocial a toda sua família.

A empresa esclarece que qualquer decisão tomada com relação a seus colaboradores é sempre feita de forma imparcial e baseada em fatos apurados e documentados. Assim, os dois funcionários arrolados no inquérito foram demitidos.

A TIM trata com máxima atenção, seriedade e sigilo as denúncias e manifestações recebidas em seu Canal de Denúncias, como ocorreu no presente caso".

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas