Sócio de investidor em criptomoedas assassinado depõe na Região dos Lagos

Familiares da vítima já haviam sido ouvidas. Polícia não descarta nenhuma hipótese para para esclarecer morte do homem que se intitulava como 'máquina de fazer dinheiro'

Escrito por Redação 07/08/2021 15:30, atualizado em 07/08/2021 16:16
Wesley se intitulava como 'máquina de fazer dinheiro'
Wesley se intitulava como 'máquina de fazer dinheiro' . Foto: Divulgação

A polícia começou a montar o 'quebra-cabeças' que possa direcionar a uma linha de investigação para esclarecer a execução do trader e investidor Wesley Pessano Santarém, de apenas 19 anos, em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos Fluminense, no último dia 4. Já foram ouvidos membros da família da vítima e agora, a polícia começou a chamar para os depoimentos pessoas do círculo profissional de Wesley, muito conhecida naquela região, que se intitulava uma 'máquina de fazer dinheiro. Vingança, 'queima de arquivo' motivada por uma disputa pelo monopólio nos negócios de Pessano na região, ou até um latrocínio (roubo seguido de morte), são possibilidades que os policiais da 125ªDP (São Pedro) não descartam.    

Depoimento - Um dos sócios da Ares Consultoria e Investimentos – empresa que também pertencia ao trader e investidor Wesley Pessano, prestou depoimento na 125 DP nesta sexta-feira (6). A família do rapaz já havia sido ouvida pela Polícia Civil na quinta (5). O empresário, que não teve identidade revelada, esteve na distrital por cerca de uma hora. O delegado responsável pelo caso, Milton Siqueira Junior, disse não ter obtido, através das informações desse sócio, "nada relevante". Outros depoimentos estão marcados para essa semana. 

O carro do rapaz, um Porsche Boxster, avaliado em mais de R$480 mil, já foi periciado na última quinta (5), por agentes do Instituo de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), em Araruama. A principal testemunha do crime é o amigo de Wesley que estava no carro no momento do homicídio. Ele continua internado em uma unidade de saúde de Araruama, sob proteção policial, após também ser atingido pelos disparos no tórax e costela.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas