Portal lança cartaz para tentar prisão de acusados da morte de PM no Rio

Traficantes da Vila Aliança, em Bangu, são apontados pela Delegacia de Homicídios como executores de cabo

Escrito por Redação 07/08/2021 07:00, atualizado em 07/08/2021 07:46
Grupo é investigado pela DH como executor de policial
Grupo é investigado pela DH como executor de policial . Foto: Divulgação

O Portal dos Procurados divulgou, na madrugada desse sábado (07), um cartaz para ajudar nas investigações da Delegacia de Homicídios da Capital  (DHC) com informações que possam levar às prisões de Júlio Cesar Alves de Oliveira, o Galo da Vila Aliança, de 34 anos; Lucas Barreto Campos, de 23 anos; Wellington Generoso de Araújo Gomes, de 24 anos e Thiago Amaral da Costa, de 32. Eles são os principais suspeitos de envolvimento na morte do Cabo da Polícia Militar José Ricardo de Castro Luna, de 40 anos, morto após uma patrulha da PM ser atacada por criminosos na Estrada do Engenho, em Bangu, em fevereiro deste ano. A agente estava há 12 anos na corporação e deixou esposa e dois filhos.

De acordo com as investigações, policiais militares do 14º BPM (Bangu) faziam um patrulhamento na Estrada do Engenho, em Bangu, quando foram atacados por traficantes. Eles teriam atirado contra a equipe perto da Estrada do Taquaral. Houve reação ao ataque criminoso e, na ação, o cabo Luna ficou ferido e foi socorrido para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo. O policial recebeu atendimento médico na unidade de saúde, no entanto, não resistiu. Os outros três policiais nada sofreram.

Ligado a facção Terceiro Comando Puro (TCP), Galo, está foragido da justiça desde 2012, depois de romper tornozeleira eletrônica. Ele é irmão do traficante Rafael Alves, o Peixe, que também está na condição de foragido da Justiça, por romper a tornozeleira eletrônica em 2020, depois de receber um benefício por causa de sua doença. Galo assumiu a chefia da região, logo após a prisão de seu irmão em 2015.

A favela da Vila Aliança possui uma rede de monitoramento, vigilância e informação em relação a presença das forças policiais na região onde o grupo atua, objetivando a proteção aos pontos de venda de drogas, a liberdade dos chefões e dos comparsas no tráfico. Para dificultar a entrada dos policiais, as principais vias da comunidade são obstruídas por barricadas instaladas pelos traficantes, que costumam atravessar ou queimar ônibus para impedir a passagem da Polícia, além de caminhões. As barricadas são feitas também com pneus, tábuas com pregos e trilhos de ferro.

Relativo à morte do Cabo Luna, foi expedido um mandado de prisão para os quatro traficantes, pela 4ª Vara Criminal da Comarca da Capital, pelo crime de: Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - Cp), com pedido de Prisão Preventiva.


O Disque Denúncia recebe informações sobre a localização de envolvidos na morte de do Cabo Luna, nos seguintes canais de atendimento:


Zap do Portal dos Procurados: (21) 98849-6099

(21) 2253 1177 ou 0300-253-1177

APP "Disque Denúncia RJ"

Facebook/(inbox): https://www.facebook.com/procuradosrj/,

https://twitter.com/PProcurados (mensagens).


Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas