Polícia prende ex-gerente de banco acusado de desviar R$ 8 milhões da conta de cliente falecido

Esposa da vítima chegou a ser ameaçada pelos suspeitos

Escrito por Redação 06/08/2021 06:55, atualizado em 06/08/2021 08:01
Os agentes descobriram que os acusados compraram imóveis e veículos
Os agentes descobriram que os acusados compraram imóveis e veículos . Foto: Reprodução/TV Globo

Policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) prenderam, nesta quinta-feira (05/08), o ex-gerente de um banco acusado de desviar cerca de R$ 8 milhões da conta bancária de um cliente falecido. Contra ele foi cumprido mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça. Rafael de Souza Ferreira teve mandado de prisão preventiva, expedido pela 27ª Vara Criminal do Rio, cumprido contra ele.

As investigações demonstraram que o acusado e outros dois gerentes da instituição financeira operacionalizaram uma organização especializada em fraudes de transações bancárias para recebimento de vantagens indevidas. 

Ao tomarem conhecimento do falecimento do cliente, os autores simularam o resgate do seu fundo de previdência, transferindo os valores para as contas pessoais de seus cônjuges, por meio de cheques administrativos. A fraude foi detectada pelo mecanismo de segurança da instituição bancária, que acionou a DRF e início as investigações.

Os agentes descobriram que os acusados compraram imóveis e veículos, sendo que o ex-gerente preso comprou uma residência de luxo na Zona Norte do Rio, tudo com dinheiro desviado.

Segundo as investigações, o criminoso também foi até a casa da viúva do cliente e tentou induzi-la a assinar um documento declarando que seu falecido companheiro tinha o desejo de doar determinada quantia aos gerentes da instituição bancária. A mulher negou e, junto de seu advogado, foram ameaçados. Por conta disso, o acusado também está sendo investigado pelo crime de coação no curso do processo. 

Todos os envolvidos foram denunciados por furto duplamente qualificado, associação criminosa e lavagem de capitais, inclusive, com pedido de sequestro de bens.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas