Ossada encontrada em rio não é de meninos desaparecidos na Baixada

Material encontrado é de origem animal

Escrito por Redação 02/08/2021 14:45, atualizado em 02/08/2021 15:31
Meninos estão desaparecidos desde dezembro de 2020
Meninos estão desaparecidos desde dezembro de 2020 . Foto: Divulgação/Redes Sociais

Um laudo do laboratório da Polícia Civil concluiu que o material encontrado no Rio Botas, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, não é dos três meninos desaparecidos na cidade desde dezembro. Parte da ossada encontrada na última sexta-feira (30) não é de origem humana, e sim animal. A informação deve ser divulgada oficialmente ainda nesta segunda-feira (02).

Um trecho do rio Botas foi alvo de buscas de mergulhadores, bombeiros e policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) na última sexta-feira, após uma testemunha ter apontado, durante depoimento prestado na quarta-feira (28), que seu próprio irmão teria jogado um saco com os corpos das três crianças naquele local. 

Ainda segundo o denunciante, os meninos teriam sido espancados e mortos a mando do traficante José Carlos dos Prazeres Silva, conhecido como 'Piranha'. Ele é apontado como chefe do tráfico de drogas no Complexo do Castelar, em Belford Roxo, e tem um mandado de prisão em aberto por tráfico. A testemunha apontou que o motivo do crime seria que uma das crianças estava envolvida no furto de uma gaiola de passarinho.

O irmão do denunciante, no entanto, negou o crime, mas admitiu ter jogado sacos no rio que haviam sido entregues pelos traficantes. O homem foi localizado pela DHBF e também prestou depoimento à polícia. Na ocasião, ele também disse que não sabia o que tinha dentro dos sacos. A Polícia Civil solicitou a prisão do suspeito, mas o pedido foi negado pelo Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ).

Segundo a defensora pública Gislaine Kepe, do Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Publica, as famílias optaram por não acompanhar às buscas pelos corpos das crianças, nesta sexta-feira, por acreditar que elas ainda estejam vivas.

Lucas Matheus, de 9 anos, Alexandre Silva, de 11 e Fernando Henrique, de 12, sumiram no dia 27 de dezembro. Moradores do Morro do Castelar, os três foram vistos pela última vez em uma feira no bairro Areia Branca, também em Belford Roxo, flagrados por uma câmera de segurança enquanto estavam a caminho da feira. 

Ao menos duas testemunhas disseram à DHBF, durante depoimento, que viram os meninos no local. A principal hipótese trabalhada pela polícia é que os garotos tenham desaparecido após deixaram a feira ou nas proximidades do Morro do Castelar. 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas