Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down 5,4836 Euro down 5,5841
Search

Flordelis deve dar satisfações à Justiça sobre sua tornozeleira eletrônica que ficou sem bateria por 17h

Flordelis e Daniel Silveira serão julgados pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 03 de março de 2021 - 11:45
Flordelis é acusada de ter assassinado seu marido
Flordelis é acusada de ter assassinado seu marido -

A deputada Flordelis passou a usar tornozeleira em outubro do último ano por causa da dificuldade que a Justiça tinha de localizá-la durante as investigações da acusação de que era a mandante do assassinato de seu marido, o pastor Anderson do Carmo, ocorrido em junho de 2019. No entanto, parece que, mesmo com a tornozeleira, a deputada deve explicações à Justiça. Flordelis recebeu um notificação judicial, na última terça-feira (02), para explicar o motivo pelo qual sua tornozeleira eletrônica ficou desligada durante 17h por falta de bateria. 

A informação consta no relatório da Secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap), que também diz que o equipamento ficou sem bateria durante 11 vezes desde que foi implementado na perna da deputada. Vale lembrar que Flordelis deve usar a tornozeleira como uma determinação do Ministério Público (MPRJ). O pedido foi acolhido por juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, juíza titular da 3ª Vara Criminal de Niterói.

Além disso, Flordelis também deve explicações pelo fato de não estar em casa nos horários estabelecidos. Isso já ocorreu durante 15 vezes. 

Flordelis e Anderson tiveram 55 filhos, sendo 51 adotivos. Eles ficaram casados durante 20 anos. Vale lembrar que alguns dos filhos do casal foram detidos por também serem acusados de participar do crime que matou o pastor.

Comitê de Ética 

Flordelis e Daniel Silveira foram notificados pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados na última terça-feira (02). Eles podem perder seu mandato se o grupo afirmar que houve quebra no decoro parlamentar por parte dos políticos. O relator do caso Flordelis será Alexandre Leite (DEM-SP) e de Daniel será Fernando Rodolfo (PL-PE). 

Ao todo, os acusados têm até dez dias para fazerem suas defesas e apresentar suas testemunhas, que poderão ser até oito no total. Após isso, o colegiado irá coletar provas e depoimentos e, em seguida, apresentará seu relatório e o resultado da votação. O processo pode durar até 50 dias.

Flordelis é acusada de ser a mandante do assassinato de Anderson do Carmo e Daniel foi detido por causa de um vídeo em que afirmava que deveriam ocorrer agressões contra membros do Supremo Tribunal Federal e defendia o Ato Institucional Número Cinco, que instaurava a censura. 

Matérias Relacionadas