Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down
Search

STF anuncia prisão definitiva e Daniel Silveira ficará preso em Niterói

O parlamentar foi levado para a Unidade Prisional da Polícia Militar, no Fonseca

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 18 de fevereiro de 2021 - 18:44
Imagem ilustrativa da imagem STF anuncia prisão definitiva e Daniel Silveira ficará preso em Niterói

Depois de uma audiência de custódia do deputado federal Daniel Silveira (PSL), realizada pelo juiz Airton Vieira, o Supremo Tribunal Federal (STF) optou por manter a prisão do parlamentar. Na tarde desta quinta-feira (18), Silveira, que antes estava preso na Superintendência da Polícia Federal (PF), foi levado para a Unidade Prisional da Polícia Militar, no Fonseca, em Niterói.

O mandado de prisão ao parlamentar foi expedido na quarta-feira (17), devido a postagem de um vídeo nas redes sociais, ao qual o deputado faz ameaças e defende a destituição dos ministros do Supremo. Na ocasião, Silveira chegou a ser denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao STF.

A Câmara dos Deputados deverá dar a palavra final sobre a manutenção da prisão. O prazo para a prisão em flagrante por crime inafiançável de qualquer deputado é de 24 horas, de acordo com a Constituição, para que assim a Casa possa analisar e tomar a decisão sobre o caso em questão. Segundo a defesa de Silveira, o mandado de prisão contra o parlamentar representa um “violento ataque” à liberdade de expressão e à inviolabilidade da atividade de seu cargo.

Ameaça contra o prefeito de Niterói

O prefeito de Niterói, Axel Grael, afirmou, essa semana, que dias antes de Daniel ser detido pela Justiça, ele recebeu ameaças do deputado federal. “Há três dias recebi uma ameaça desse deputado federal. Nesta terça-feira, ele foi preso por ameaça contra ministros do Supremo, com conteúdo quase igual ao que escreveu para mim. Esse tipo de comportamento é inadmissível”, declarou Grael em suas redes sociais.

De acordo com o prefeito, Silveira havia dito que ele teria que levar “uma surra de gato morto até ele miar”. Grael ainda ressalta que não deixará esta atitude passar, e que tomará as devidas providências, processando o deputado. 

Matérias Relacionadas