Corpo de criança baleada em Pendotiba é sepultado nesta quarta-feira (4)

Um cabo da PM foi preso em flagrante por homicídio com dolo eventual

Escrito por Redação 03/02/2021 08:49, atualizado em 03/02/2021 09:45
. Foto: Reprodução

Permanece no Instituto Médico Legal (IML) do Barreto, em Niterói, o corpo da pequena Ana Clara Gomes Machado, de 5 anos, que foi baleada, na manhã da última terça-feira (2), na porta de casa, durante confronto entre policiais militares e criminosos, no Monan Pequeno, em Pendotiba, Niterói. O enterro da criança está marcado para acontecer às 14h, desta quarta-feira (3), no Cemitério de São Francisco, em Niterói. O corpo da menina deverá chegar ao local após o meio dia. 

Um policial militar do 12° BPM (Niterói) foi preso em flagrante pelo caso e responderá por homicio doloso. A PM também instaurou inquérito para apurar a conduta dos militares durante a operação. 

Conforme a mãe da pequena Ana Clara, o caso aconteceu quando  ela e os dois filhos estavam no quintal de casa. Eles ouviram os primeiros tiros e correram. Ela levou o filho de dois anos para o quarto e quando voltou já encontrou a menina no chão, desacordada. 

A criança chegou a ser socorrida e encaminhada para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, mas já chegou na unidade de saúde sem vida. 

Familiares e vizinhos de Ana Clara afirmam que não aconteceu nenhum confronto no local e que todos os tiros foram disparados pela polícia. Para expressar indignação, um protesto foi realizado na noite do caso. 

Com troncos de madeiras fechando a rua que da acesso ao Cantagalo, manifestantes pediam justiça pela morte da menina. 

Contudo, apesar da fala dos moradores, a Policia Militar informou, através de nota, que os PMs realizavam um patrulhamento pela Estrada Monan Pequeno quando cerca de cinco criminosos atiraram contra os policiais. Houve revide e os criminosos fugiram, mas voltaram a atacar com mais tiros. Após esse segundo confronto moradores foram para as ruas pedir socorro para a Ana Clara, que já estava ferida. 

Prisão - Apesar de não ter confessado o disparo, um cabo da PM, lotado no 12° BPM (Niterói) foi preso em flagrante após prestar depoimento com contradições, segundo investigadores da Divisão de Homicios de Niterói,  Itaboraí e São Gonçalo. 

Ele vai responder por homicídio com dolo eventual. A arma usada por ele e  por todos os outros policiais envolvidos na ação foram apreendidas e vão passar por confrontos balísticos. 

O batalhão de Niterói também abriu um procedimento interno para apurar a conduta dos policiais durante a ação. 

Agentes da Divisão de Homicídios seguem investigando o caso.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas