Homem é preso após matar e carbonizar corpo de advogada em Petrópolis

O crime ocorreu na última sexta-feira (22)

Escrito por Redação 23/01/2021 16:49, atualizado em 23/01/2021 17:45
O homem foi preso neste sábado (23), na Favela do Arará
O homem foi preso neste sábado (23), na Favela do Arará . Foto: Reprodução/Internet

Agentes da 106ªDP, com apoio da 105ªDP e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), prenderam Rogério dos Santos, acusado de assassinar e colocar fogo no corpo da advogada Patrícia Sá Fortes, de 50 anos. A prisão ocorreu neste sábado (23), na Favela do Arará, em Benfica, na Zona Norte do Rio. Rogério foi encontrado na casa da namorada, onde se escondeu após o crime. Rogério já conhecia Patrícia, pois já havia trabalhado para a família dela. As informações são do G1.

Rogério foi encontrado depois que a polícia achou o carro e os documentos de Patrícia. Ao mesmo tempo, identificaram pistas de uma tentativa de transferência bancária feita da conta da advogada para uma outra conta em Roraima. 

A advogada foi morta em Petrópolis
A advogada foi morta em Petrópolis | Foto: Reprodução/Internet
 

Rogério confessou o crime e disse que carbonizou o corpo da vítima, utilizando pneus. Em seu depoimento, ele ainda justificou o crime dizendo que precisava de dinheiro para pagar o aluguel.

O corpo da advogada foi achado após a confissão de Rogério.

O crime

O assassinato de Patrícia ocorreu na última sexta-feira (22), em Itaipava, distrito de Petrópolis, na Região Serrana do estado. Rogério teria chegado ao município de ônibus, por volta das 17h de quinta-feira (21), e ficou aguardando a vítima, que estava fora de casa em uma festa. Quando ela chegou em sua residência, o criminoso a abordou. 

O carro de Patrícia foi visto indo para o Rio e depois voltando a Itaipava em imagens de câmeras da Serra de Petrópolis, na noite do crime. 

Rogério já possuía outras passagens pela polícia pelos crimes de estupro, lesão, roubo. Ele havia deixado a cadeia há quatro meses, e agora será indiciado por homicídio qualificado. Ele segue detido na 106ªDP (Petrópolis), mas deve ser transferido para uma delegacia no Rio.

A polícia agora investiga, segundo o G1, o possível envolvimento de Rogério em um assalto que ocorreu na quarta-feira (20), também em Itaipava. Nesse caso, uma mulher foi feita de refém e o bandido conseguiu roubar cerca de R$ 3,4 mil. Mesmo com Rogério afirmando que chegou à cidade na quinta-feira (21), o setor de inteligência da polícia acredita ter evidências de sua participação no crime.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas