Cirurgia bariátrica: a importância do tratamento pré-operatório

Escrito por Redação 05/06/2015 14:50, atualizado em 05/06/2015 14:50
. Foto:

Segundo especialistas, é preciso pesquisar e tratar eventuais doenças antes da cirurgia para evitar problemas no pós-operatórioFoto: Divulgação

Solução para casos de obesidade e problemas críticos de ganho de peso, a cirurgia bariátrica vem sendo cada vez mais procurada no Brasil. Isso se deve não apenas a sua eficácia como também por levar à remissão do diabetes na maioria dos pacientes com a doença. No entanto quem pensa que o fato de submeter-se à cirurgia garante a cura definitiva está enganado. Tanto o tratamento pré-operatório quanto o acompanhamento pós-cirurgia são importantes para o sucesso do paciente.

Segundo dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem-Regional RJ), até 30% dos pacientes que passam pela cirurgia bariátrica podem voltar ao peso pré-operatório. Um outro fato é que dependendo da cirurgia escolhida o paciente pode apresentar uma série de deficiências de vitaminas e minerais que deverão ser repostas no pós-operatório.

Segundo a diretora da Sbem-RJ, Ana Carolina Nader, o endocrinologista assume diversos papéis tanto no pré-operatório como no pós-cirúrgico, como prevenir e tratar das deficiências nutricionais (vitaminas K e B12, Ferro); avaliar complicações clínicas e preparar o paciente para cirurgias estéticas, muitas vezes necessárias devido aos excessos de pele após a perda de peso.

“Não menos importante é o seu papel no controle de doenças associadas ou não à obesidade, como o diabetes, que na maioria dos casos entra em remissão com a cirurgia, mas continua requerendo atenção tanto pela possibilidade de seu retorno, como pelo manejo das complicações a ele relacionadas”, explica a especialista.

Ainda de acordo com a médica, é no pré-operatório que o médico deverá pesquisar e tratar eventuais doenças, como hipertensão e esteatose hepática, bem como distúrbios hormonais que possam estar contribuindo para essas condições.

“É preciso ter consciência de que a perda de peso não significa a cura da obesidade e a compreensão de que endocrinologistas e cirurgiões bariátricos trabalham juntos, com ações integradas, no combate permanente a hábitos não saudáveis no controle do peso e na educação continuada do paciente”, complementa.

Acesso pelo SUS no Rio de Janeiro

No estado do Rio, o Programa de Cirurgia Bariátrica do Governo do Estado está presente no Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, Zona Norte do Rio. O paciente que tiver Índice de Massa Corpórea dentro do indicado (maior que 35kg/m²) que preencham os pré-requisitos do Ministério da Saúde e não tiverem doenças graves associadas são avaliados, preparados e operados. A equipe também acompanha todo o pós-operatório especializado, com orientações de nutricionista, psicólogo e avaliação periódica pelo cirurgião.

Para se candidatar à cirurgia bariátrica no programa do Estado, o paciente deve procurar um atendimento ambulatorial próximo de sua casa para que um médico avalie a necessidade da cirurgia. Se a operação for indicada, o médico faz a solicitação para a segunda avaliação junto à Central de Regulação estadual, que encaminha o pedido ao Hospital Estadual Carlos Chagas.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas