Turista morta em Arraial do Cabo: o que se sabe sobre o crime

Caso aconteceu no último mês

Enviado Direto da Redação
Fabiane Fernandes foi encontrada morta no dia 21 de novembro, em Arraial do Cabo

Fabiane Fernandes foi encontrada morta no dia 21 de novembro, em Arraial do Cabo

Foto: Divulgação


O assassinato de Fabiane Fernandes, 30 anos, encontrada morta no dia 21 de novembro, perto de uma trilha em Arraial do Cabo, já teve alguns pontos esclarecidos pela Polícia Civil, mas segue repleto de mistérios. O principal deles é sobre a autoria do crime, onde os agentes buscam informações sobre quem matou a  vítima. Na última semana, um homem foi detido em Niterói, suspeito de ter matado a turista, mas foi ouvido e liberado por falta de provas concretas sobre a autoria. 


Segundo a polícia, a turista catarinense viajou para a cidade da Região dos Lagos, em meados do mês passado, onde pretendia curtir o feriado da Proclamação da República. Ela viajou sozinha para encontrar um amigo.


Três dias antes de ser encontrada, a turista catarinense foi vista dentro de uma loja de conveniência tomando café e digitando no celular. No mesmo dia, ela postou uma foto nas redes sociais onde estaria fazendo trilha, identificando o local como Pontal do Atalaia, foi o último registro dela. Segundo os bombeiros, a turista catarinense demonstrou não conhecer a região, já que ela estaria na trilha da Prainha. 


De acordo com o Instituto Médico Legal (IML) de Araruama, Fabiane tinha sinais de golpes na cabeça e no rosto, além de vestígios de violência sexual. A suspeita da polícia é de que ela tenha sido atingida por uma pedra e morrido no mesmo dia em que acessou a trilha. O laudo cadavérico preliminar realizado pelo Instituto Médico Legal (IML) de Araruama (RJ) afirma que Fabiane foi vítima de violência sexual antes de ser assassinada.  


De acordo com a 132ªDP (Arraial do Cabo), delegacia responsável pelo crime, não está descartado o crime de latrocínio (roubo com morte). Segundo a polícia, por mais que o celular tenha sido encontrado ao lado do corpo, a carteira da vítima estava vazia. 



Veja também