Dez trabalhadores são resgatados em condições semelhantes à escravidão em Araruama

Funcionários receberam guias de Seguro-Desemprego

Escrito por Redação 18/01/2018 08:55, atualizado em 18/01/2018 08:55
Trabalhadores foram resgatados e encaminhados para programas sociais
Trabalhadores foram resgatados e encaminhados para programas sociais . Foto: Divulgação/Ministério do Trabalho


O Ministério do Trabalho resgatou, na semana passada, 10 trabalhadores em condições parecidas com a escravidão em salina no distrito de Praia Seca, em Araruama.


Os funcionários foram desligados do trabalho, receberam as guias do programa de Seguro-Desemprego para resgatados e foram encaminhados a programas sociais. A empresa responsável pelo trabalho - a Issal -BR Salina - foi notificada.


De acordo com os auditores responsáveis pela fiscalização, no alojamento onde os trabalhadores foram encontrados, havia falta de água potável, de higiene e limpeza e nenhum local para descanso dos funcionários.


No processo de moagem do sal, havia fiação exposta e emendas elétricas precárias. Além disso, foram encontradas caixas de energia abertas e falta de cobertura sobre o maquinário.


Além disso, o Ministério do Trabalho informou que a empresa responsável assumiu o vínculo empregatício dos trabalhadores, mas que ainda não realizou o pagamento da rescisão e, tampouco, arcou com as viagens de volta para casa, já que quatro são oriundos de outros estados.


Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas