Cabo Frio é sede do Programa anual Badeira Azul

O evento vai reunir vários representantes de cidades brasileiras

Escrito por Redação 04/05/2022 07:22, atualizado em 04/05/2022 08:04
O Brasil tem 22 praias e seis marinas com o selo internacional de sustentabilidade
O Brasil tem 22 praias e seis marinas com o selo internacional de sustentabilidade . Foto: Divulgação/ Henrique Nascimento

Representantes de vários estados brasileiros vão participar, na quinta e na sexta-feira, em Cabo Frio, do XV Workshop Nacional Bandeira Azul. De forma presencial ou remota, através do Youtube, o evento vai reunir cidades brasileiras que procuram ou querem manter a certificação internacional de qualidade ambiental em praias, marinas e embarcações de turismo. Na tarde de sexta-feira, os participantes visitam a Praia do Peró, que tem a Bandeira Azul, e o encerramento será num hostel construído de contêineres com projeto sustentável.O workshop (oficina de trabalho) será aberto, no auditório da Universidade Veiga de Almeida, pelo presidente do Instituto de Ambiente em Rede (IAR), Ricardo Cerruti. Em seguida, a coordenadora nacional Leana Bernardi, vai anunciar as novidades do programa Bandeira Azul em todo o país. Os debates também vão contar com a presença de representantes do Ministério do Turismo. O Brasil tem 22 praias e seis marinas com o selo internacional de sustentabilidade.

Leana Bernardi explica que o principal objetivo do programa Bandeira Azul é conscientizar a sociedade, gestores públicos e empresários do segmento náutico sobre a necessidade de proteger ambientes marinhos e costeiros. O programa incentiva a realização de ações com foco em qualidade e proteção ambiental. Todo o evento, com início às 9h, poderá ser acompanhado, com transmissão ao vivo, através do canal da Bandeira Azul Brasil no Youtube.

Durante a visita ao Peró, a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa) vai apresentar o Sobrasa Kids, um programa de prevenção a afogamentos para crianças. O conteúdo é ministrado por profissionais habilitados que, de forma lúdica e interativa, ministram oficinas sem expor as crianças à água. O projeto é desenvolvido na faixa de areia das praias, em escolas, academias e piscinas. Os alunos recebem o crachá de agentes da prevenção, Kim ou Tatá, personagens da Sobrasa, e também material didático (gibis). Desta forma, aprendem a lidar com várias ações que diminuem riscos de afogamento nos mares e piscinas.Ambientalistas que lutam pela preservação ambiental da Praia do Peró e que lutaram Bandeira Azul vão levar ao evento a preocupação com a falta de ações da Prefeitura para atender aos requisitos do programa. Reclamam da redução de seis para um do quadro de “agentes azuis” (capacitados a fazer a fiscalização ambiental no trecho certificado); da falta de fiscalização e ordenamento da praia nos fins de semana e feriados do verão; do não cumprimento da promessa de construção de novos quiosques: da falta de saneamento básico no entorno da orla da Praia do Peró; e, da desativação do projeto Bike Orla, que era feito pela Guarda Municipal.

Os mesmos defensores da orla do Peró comemoram, contudo, a proibição de tráfego de veículos na orla; as medições periódicas da qualidade da água do mar; a maior procura de turistas pelos hotéis; os programas de educação ambiental; a chegada de água potável e esgotamento sanitário dos quiosques; e, o asfaltamento da principal via de acesso ao Peró. Os moradores do Pontal do Peróll] vão pedir a certificação da Bandeira Azul durante o evento.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas