Justiça bloqueia contas de empresa sediada em Cabo Frio suspeita de pirâmide financeira

Mais de 18 mil pessoas investiram na empresa, segundo a polícia

Escrito por Redação 14/09/2021 16:19, atualizado em 14/09/2021 17:03
Rogério Cruz, que se apresentava como CEO da Alphabets, também teve as contas bloqueadas
Rogério Cruz, que se apresentava como CEO da Alphabets, também teve as contas bloqueadas . Foto: Reprodução

A Justiça do Rio determinou, na última sexta-feira (10), o bloqueio de R$95 mil das contas da empresa de investimentos Alphabets, sediada em Cabo Frio, na Região dos Lagos, e do empresário Rogério Cruz Guapindaia, que se apresentava como CEO do negócio. O empreendimento do ramo de mercado de apostas esportivas, no entanto, anunciou que fechou as portas na quarta-feira (8). 

A liminar é do juiz André Aiex Baptista Martins, da 6ª Vara Cível de Volta Redonda. Essa é a primeira decisão da Justiça contra o investidor no estado. O magistrado determinou o bloqueio após uma cliente pedir a devolução de R$95 mil que ela teria investido na empresa. Até o momento, 15 ações já foram abertas no Tribunal de Justiça do Rio (TJ-TJ) por outros clientes que tentam recuperar os valores investidos.

Mais de 30 boletins de ocorrência já foram abertos nas delegacias de Cabo Frio (126º DP) e São Pedro da Aldeia (125º DP) contra os donos da Alphabets por estelionato. Um escritório de advocacia de Cabo Frio informou que vai entrar com um lote de ações contra a empresa e seus sócios nos próximos dias. 

De acordo com a Polícia Civil, 18.744 pessoas de várias partes do país colocaram dinheiro na Alphabets nos últimos meses. No último domingo (12), um grupo fez uma carreata por Cabo Frio pedindo mais agilidade nas investigações do caso. As vítimas utilizaram carro de som e afirmaram que "90% da cidade de Cabo Frio foi lesada pela empresa".

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas