Alunos da Faetec, em Bacaxá, vencem Festival de Tecnologia em escolas públicas e particulares

Estudantes desenvolvem aplicativo para conservação do meio ambiente

Escrito por Redação 16/06/2021 08:33, atualizado em 16/06/2021 10:50
Essa é uma das maiores competições de empreendedorismo de jovem no Estado
Essa é uma das maiores competições de empreendedorismo de jovem no Estado . Foto: Divulgação

A Escola Técnica Estadual (ETE) Helber Vignoli Muniz, pertencente à Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), conquistou o pódio mais alto da 3ª edição do Desafio Tack – uma das maiores competições de empreendedorismo de jovem no Estado, promovido pela ONG Junior Achievemente. O time formado por alunos da unidade Bacaxá, em Saquarema, ganhou a competição ao propor um aplicativo que ensina jovens sobre a prática e a conservação do meio ambiente: Green League.

“A desinformação e a falta de solução prática são os maiores problemas do meio ambiente entre os jovens”. Esse é o entendimento do aluno Pedro Henrique Oliveira, um dos criadores do aplicativo Green League. Para o estudante do curso técnico de Edificação, o assunto é tratado de forma complexa, repetitiva e pouco eficiente, causando desinteresse entre as pessoas na busca por solução.

“O aplicativo tem por objetivo ensinar de forma interativa todos os conceitos e práticas ambientais. É uma plataforma ‘gamificada’, onde o jovem aprenderá o beabá do meio ambiente e conhecerá soluções simples para pôr em prática a proteção e a conservação da natureza”, explica Pedro. Ele ainda completa: “o ponto principal do jogo é que o usuário entenda que ele faz parte da natureza e de que todas as nossas ações têm consequência”.

Ao todo, cerca de 240 alunos do ensino médio participaram do Desafio Tack. Por meio da metodologia do Programa Innovation Camp, os estudantes tinham por objetivo encontrar soluções inovadoras utilizando a tecnologia para questões culturais. O tema deste ano era a preservação e restauração dos ecossistemas e oceanos com base nas diretrizes da ONU.

Das 20 escolas públicas e privadas na disputa, todas as seis finalistas pertenciam à Rede Faetec: Escolas Técnicas Estaduais (ETEs) Adolpho Bloch, Helber Vignoli Muniz, Henrique Lage, Juscelino Kubitschek e Oscar Tenório. A equipe vencedora foi formada pelos estudantes Eduarda Jayme (17), Juliana Gagliano (17), Lavínia Antiqueira (18), Maria Pessanha (18), Matheus Campos (17) e Pedro Henrique Oliveira (18).

O “Green League”, proposto pela ETE Helber Vignoli Muniz e que ainda está em desenvolvimento, foi sucesso de crítica entre os jurados da competição. O app foi pensado sobre três pilares: teoria, prática e recompensa. Este último pilar trata-se da moeda virtual (Green Coins) como um método atrativo para manter os usuários participativos.

 “O jogador ganha recompensa ao cumprir tarefas diárias em três níveis: em casa, na rua e com terceiros. No primeiro nível, os exemplos de atividades são separar o lixo orgânico, descartar corretamente utensílios eletrônicos ou fazer uma horta. No segundo, pode ser o uso de uma sacola própria retornável em vez da compra de uma bolsa plástica. E, por último, pode ser um mutirão na praia para catar latinha ou cuidar da restauração de uma área ambiental por meio do plantio de mudas com os amigos”, explica a estudante de Edificações Eduarda Jayme.

A jovem adianta que as moedas virtuais, recebidas como prêmio, poderão ser trocadas por cupons ou benefícios em lojas sustentáveis e parceiras. Além disso, poderão ser destinadas como doação a Ongs ou utilizadas em atividades culturais, como cinema e teatro. Eduarda ressalta, no entanto, que a parte teórica também é fundamental para o sucesso do game.

“Antes da parte prática, ou até mesmo de forma simultânea, serão disponibilizados textos e vídeos informativos. E, para a consolidação da informação, o jogador precisa responder questões teóricas sobre a pauta ambiental”.  O app em desenvolvimento envolve o conceito de cibercultura e é acessível a todos.

A equipe busca, agora, apoio financeiro para lançar o aplicativo no mercado e empresas que se interessem em investir no projeto. Os estudantes já estão inscritos em um novo concurso de empreendedorismo para aprimorar a iniciativa. O desejo dos jovens moradores da Região dos Lagos, dos municípios de Maricá, Iguaba Grande, Saquarema e Rio Bonito, é que em breve o game esteja disponível em lojas de aplicativos dos Smartphones.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas