Prefeito diz que ainda tem muito a fazer por São Gonçalo

Escrito por Redação 28/12/2015 15:25, atualizado em 28/12/2015 15:25
. Foto:
Foto: Filipe Aguiar

Por Elena Wesley

Na reta final do mandato, o prefeito Neilton Mulim (PR) destaca, entre as realizações, os investimentos em saúde – com a criação de unidades e a ampliação de serviços; educação – por meio do aumento de recursos e reajustes salariais aos profissionais; e infraestrutura – com a pavimentação de 110 km de ruas. Ciente de que ainda há muito a fazer por São Gonçalo, Neilton não descarta o desejo de permanecer no cargo até 2020.

O SÃO GONÇALO - O senhor entra na reta final do mandato. Como avalia estes três anos?
NEILTON MULIM - Estar à frente da Prefeitura de São Gonçalo é um grande desafio e também uma grande alegria, pois posso contribuir para o bom desenvolvimento do meu município de origem. Avançamos em temas importantes como saúde, educação, infraestrutura e desenvolvimento social. Ainda há muito por fazer, no entanto, possuímos a menor renda per capita do Estado. Por isso, nosso foco tem sido priorizar as questões de maior relevância para a população.

OSG - Uma cidade da proporção de São Gonçalo exige muitas melhorias. O que ainda falta para a cidade alcançar o padrão que o senhor havia estabelecido ao se candidatar?
NEILTON - A segurança pública tem tido aumento expressivo nos índices de clamor pela população. Buscamos parcerias e reivindicamos junto ao Estado uma assistência mais enfática, além de ações de prevenção para garantir a integridade das famílias. Somos o primeiro município do Rio a formar turmas de enfrentamento ao crack e outras drogas, além do aumento de viaturas e criação de Centro Integrado de Segurança Pública e Vídeo Monitoramento de Vigilância 24h.

OSG - Além da segurança pública, alguma outra área merece destaque?
NEILTON - A infraestrutura é outra preocupação tratada como prioridade. Temos, até o momento, mais de 50 Km de obras completas com saneamento básico, drenagem, pavimentação e acessibilidade através do Projeto Rua Nova. Somados aos mais de 60 Km de pavimentação do Projeto Municipal Mais Asfalto, ultrapassamos a marca de 110 km de obras espalhadas por toda a cidade. Outro desafio é a questão da mobilidade urbana, além das buscas pelo cumprimento de ações sinalizadas pelo Governo do Estado, também temos em andamento a Criação da Via Binário entre os bairros Lagoinha, Bandeirantes e Vila Três, que irá contribuir com a mobilidade urbana em Alcântara. Incluo ainda a mão inglesa no bairro Santa Luzia, entre outros projetos.

OSG - Algumas mudanças ocorreram em pastas importantes, como saúde e educação. Houve melhorias depois que os novos nomes assumiram? Eles permanecem em 2016?
NEILTON - A secretaria de saúde tem cooperado para que a Prefeitura apresente o maior investimento dos últimos 20 anos no setor, de acordo com a Presidência da Comissão de Saúde da Câmara dos Vereadores. A Secretaria de Educação, da mesma forma, tem contribuído para avanços substanciais. Com investimento equivalente a 71,68% dos recursos do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica), ficamos acima do exigido por lei, que prevê 60%, de acordo com relatório de aprovação de contas do TCE/RJ (Tribunal de Contas do Estado). Com recursos próprios oriundos da coleta de impostos, os investimentos ultrapassaram R$123 milhões. Uma das medidas priorizadas foi o reajuste de 32,27% para os professores, 108% a mais do que o concedido nos últimos nove anos, o que ainda não é o que desejamos, e sim o que foi possível. Temos nos empenhado em manter a importância que a oferta da educação pública merece e buscamos ir além, através de assistências especiais para alunos com perfis diferenciados.

OSG - Qual a expectativa para o processo eleitoral do próximo ano? Sua candidatura à reeleição é uma possibilidade forte?
NEILTON - Mantemos nosso foco na continuidade das ações propostas e em prestar contas à população do que tem sido feito e que muitos desconhecem, pela própria dificuldade em dar publicidade. Estamos empenhados em driblar a crise orçamentária e financeira que assola o país, a fim de manter o padrão das realizações e continuidade nos serviços essenciais, evitando que, com a queda na arrecadação e dos repasses federais e estaduais, a população seja prejudicada. Nossa expectativa é poder dar continuidade por mais quatro anos ao ritmo de realizações que temos empreendido. Assumimos esse mandato com o desejo de contribuir para avanços substanciais em prol da municipalidade e a meta de um próximo mandato está atrelado a esse objetivo.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas