Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar up 5,1702 Euro up 5,2642
Search

Bolsonaro é eleito a "Pessoa Corrupta do Ano" por organização de jornalistas

O presidente competiu com Trump na categoria

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 31 de dezembro de 2020 - 09:08
O presidente concorreu com outros líderes na categoria
O presidente concorreu com outros líderes na categoria -

O final de 2020 trouxe mais uma situação inusitada: o presidente brasileiro Jair Bolsonaro, Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, e Recep Erdogan, líder da Turquia, disputaram o cargo de "Pessoa Corrupta do Ano" no Organized Crime and Corruption Reporting Project (OCCRP), que conta com jornalistas e representantes da mídia independente. O grupo resolveu comunicar que o vencedor da categoria, mesmo que por "pouco", foi o presidente brasileiro. Os motivos para tal premiação foram os diversos escândalos políticos e financeiros envolvendo o presidente.

"Eleito após o escândalo da Lava Jato como candidato anticorrupção, Bolsonaro se cercou de figuras corruptas, usou propaganda para promover sua agenda populista, minou o sistema de justiça e travou uma guerra destrutiva contra a região da Amazônia que enriqueceu alguns dos piores proprietários de terras do país", disse o comunicado do OCCRP. 

O prêmio em questão já foi dado também, em anos anteriores, para Vladimir Putin, da Rússia, e Rodrigo Duterte, das Filipinas. 

O OCCRP citou diversos escândalos envolvendo a família do presidente ao justificar a escolha do mesmo para vencer a categoria, como, por exemplo, as investigações contra Carlos Bolsonaro, que envolviam um suposto esquema de repartição de salários de assessores; além do dinheiro injustificado que foi depositado por Fabrício Queiroz e sua esposa na conta de Michelle Bolsonaro, esposa do presidente; e o esquema de "Rachadinhas" na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) que envolve Flávio Bolsonaro. Além de citar casos dos filhos e da esposa do presidente, há acusações contra o próprio político. Os incêndios e a destruição da Amazônia foi um dos fatores citados contra Bolsonaro.

Matérias Relacionadas