Prefeito visita obras de restauração do Mercado Municipal, que será inaugurado dia 22 de novembro

Com procura alta de comerciantes, local já tem projeto de expansão para além das 180 lojas

Enviado Direto da Redação

 O prefeito Rodrigo Neves visitou as obras do Mercado Municipal de Niterói, no Centro, na manhã desta quarta-feira (21) e, em uma transmissão ao vivo nas redes sociais, destacou a importância do projeto para uma região da cidade que estava degradada. O prefeito disse que as obras de restauração serão entregues no dia do aniversário de Niterói, 22 de novembro, e que as mais de 180 lojas previstas irão se instalar no local ao longo do mês de dezembro. Para ele, o Mercado tem grande importância na retomada da economia em Niterói e já está atraindo investimentos para a região, através de empreendimentos imobiliários, de uma fábrica de sorvetes e de um supermercado que vão se instalar nos próximos meses.

“Esse é um dos projetos mais importantes da retomada da economia em Niterói. Esse Mercado Municipal foi criado na década de 1940 pelo presidente Getúlio Vargas e durante 30 anos foi um grande mercado do antigo estado do Rio de Janeiro, trazendo produtos do interior para serem vendidos aqui. Esse mercado fechou na década de 1970 e a partir daí essa área se degradou. Agora o Mercado voltará a ter relevância que teve no passado, sendo um importante instrumento para a recuperação econômica de Niterói”, disse o prefeito.

Rodrigo Neves destacou os projetos que chegam à região, incentivados pela recuperação do Mercado Municipal.

“O importante é que esse projeto do Mercado está criando uma dinâmica nova na região, que estava degradada há muitos anos. Já temos projetos de torres de empreendimentos residenciais próximas ao Mercado. Vamos ter também uma fábrica de sorvetes, que comprou a área de uma antiga concessionária de veículos que estava abandonada. Também vamos ter aqui perto um grande supermercado. Ou seja, nós vamos ter vários empreendimentos aqui graças a essa âncora, que é o Mercado Municipal, um indutor de desenvolvimento. O mercado vai ajudar muito nessa vocação de Niterói que é o turismo, dos eventos. Quando essa pandemia passar, Niterói vai estar muito mais forte para fazer essa retomada da economia mais rápida”, disse o prefeito.  

Rodrigo Neves destacou também que galpões abandonados do Ceasa, ao lado do Mercado Municipal, foram ocupados por famílias carentes. Essas famílias estão recebendo auxílio da Prefeitura e se mudaram do local, o que permitiu a demolição dos prédios e a ampliação da área do Mercado.

“As pessoas estavam vivendo em uma situação muito ruim neste local. Nós conseguimos junto ao Governo do Estado a municipalização desses galpões e fizemos a reinserção social dessas famílias. Todas elas estão recebendo um auxílio da Prefeitura de Niterói e saíram deste espaço degradado. Elas recebem esse auxílio até que a Caixa Econômica Federal entregue unidades habitacionais que estão sendo construídas no bairro da Ititioca. Esses galpões foram demolidos e, através de uma Parceria Público Privada, Niterói está revitalizando e restaurando uma pedrinha preciosa, um prédio histórico, que é o Mercado Municipal”, disse Rodrigo Neves.

Representante do consórcio Novo Mercado Municipal, que venceu a licitação, Sofia Avny, disse que está muito animada com as obras.

“Além do Mercado, toda a área ao redor está sendo revitalizada e se tornará um polo de economia e turismo. Estamos trabalhando para Niterói ter um dos melhores mercados deste tipo no mundo. Um dos cinco melhores eu tenho certeza que será”, disse.

Segundo ela, o projeto teve mais interesse do que o esperado. Por isso, já está sendo construída uma expansão. “A demanda em Niterói foi muito maior do que o antigo prédio do Mercado poderia suprir. Por isso, o projeto já nasce com uma expansão que é um bulevar que vai ter espaço para o parque cervejeiro, para floriculturas, para produtos alimentares industrializados”, disse.

Restauração - O edifício da Avenida Feliciano Sodré está recebendo um trabalho meticuloso e feito com cuidado para manter todas as características da arquitetura art déco. O imóvel faz parte de um conjunto arquitetônico da região portuária de Niterói, com uma área de cerca de 9.700 metros quadrados.  

O térreo do mercado será um espaço para comercialização de frutas, incluindo espécies raras e de cultivo orgânico, verduras, legumes, produtos tradicionais da região, açougue, empórios especiais, produtos gourmet, queijos, laticínios e especiarias. No mezanino ficarão restaurantes, cervejarias artesanais e adega.

Parceria – A Prefeitura de Niterói e o consórcio Novo Mercado, vencedor da licitação, firmaram uma PPP para a reforma e gestão do espaço por 25 anos. O investimento do consórcio será de R$ 69 milhões em três anos, sendo R$ 30 milhões na reforma do atual prédio.

Cerca de 3.500 pequenos e médios empresários já demonstraram interesse na locação de boxes do espaço e os negócios estão em andamento para a ocupação das 180 lojas.

Na segunda fase, serão construídas uma nova praça e um centro cultural e edifício garagem com 300 vagas. Todo o local contará com medidas de sustentabilidade, como o uso da luz natural, reaproveitamento de água de chuva e telhado verde. 

Veja também