'Corrida' eleitoral em São Gonçalo terá 9 candidatos para o 'pódio' da Prefeitura

Entre os candidatos ao 'troféu' de prefeito, a maior parte já é conhecida dos mais de 400 mil eleitores da cidade

Enviado Direto da Redação

Foto:

E foi dada a largada para a 'corrida' eleitoral dos candidatos que almejam tirar do 'pódio' o prefeito de São Gonçalo, José Luiz Nanci (Cidadania), eleito pelo antigo PPS em 2016. A 'chegada' está marcada, inicialmente, para 15 de novembro, com a ida dos eleitores às urnas em 1° turno. E, coincidentemente, como na disputa de quatro anos atrás, nove candidatos, aliados com diferentes coligações, vão entrar na 'pista' para tentar conquistar a preferência dos mais de 400 mil eleitores de São Gonçalo. 



O atual prefeito José Luiz Nanci, agora no Cidadania, tentará a reeleição, assim como seu vice-prefeito (e atualmente desafeto político) Ricardo Pericar (PSL), que faz oposição ao seu governo desde 2017, primeiro ano da atual gestão. Nanci terá como vice a empresária Márcia Valéria. Já Pericar contará com o pastor Artur Belmont (PTB) nesta função. Belmont chegou a anunciar a sua pré-candidatura a prefeito da cidade, e num passado recente, também foi secretário de Planejamento do ex-prefeito Neilton Mulim.


O prefeito vai encontrar na 'pista' dois ex-secretários seus que se uniram numa chapa única, representando dois partidos progressistas. O médico Dimas Gadalha (PT), ex-secretário de Saúde, lidera a coligação, que tem o advogado Marlos Costa (PDT), ex-secretário de Desenvolvimento Social, como vice. Ambos são apoiados por dois 'caciques' da política na região: o ex-prefeito de Maricá, Washington Quaquá (PT) e o atual prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT).


Quem também se habilitou a fazer parte do 'grid' da 'corrida eleitoral' é o ex-deputado estadual e vereador por vários mandatos, Capitão Nelson (Avante), que trocou uma reeleição certa à Câmara de Vereadores pela disputa à Prefeitura. Como seu 'co-piloto' (vice-prefeito) ele terá o ex-vereador Sérgio Gevú, que foi líder do governo Neilton Mulim.


Outro ex-parlamentar gonçalense que também está no páreo é o ex-deputado federal Dejorge Patrício (Republicanos), que foi 'vice-campeão' no 'grande prêmio eleitoral' de 2016, e neste ano volta a 'largar no pelotão da frente', com uma 'escuderia' formada por nove partidos, e tendo o sindicalista Marquinhos da Força (solidariedade) como seu co-piloto (vice).


O ex-deputado federal e pastor da Igreja Universal Roberto Sales (PSD), que tem como 'chefe de equipe' o senador Arolde de Oliveira, aposta no seu time de 'engenheiros políticos' da região, os deputados estaduais Coronel Salema (PSD) e Filippe Poubel (PSL), como suas pontes para contar com o apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e de seus filhos '01' e '02'. O vice será o médico Dr.Isaac (PTC).


A 'única' equipe a montar uma dupla 'puro-sangue' para a disputa é o PSB, com Rodrigo Piraciaba (um dos fundadores do grupo de ensino Elite) como candidato a prefeito, e Carlos Macedo a vice. Ambos têm apoio do deputado estadual Renan Ferreirinha (PSB), que tem base eleitoral em São Gonçalo e chegou a ser especulado como pré-candidato.



O bloco de esquerda tem mais duas chapas no 'grid' de largada: Isaac Ricalde (PCdoB) que terá como vice, a professora de História, Ana Cardinall (PSOL), após o psolista Professor Josemar decidir tentar uma vaga na Câmara Municipal, após três tentativas seguidas de ser prefeito; e a professora de História, Dayse Oliveira (PSTU), que terá como vice o também educador, Roberto Baeta.

Veja também