Bolsonaro fala sobre o uso da hidroxicloroquina: "é o médico quem receita"

O medicamento não tem eficácia científica comprovada contra o Covid

Enviado Direto da Redação
Bolsonaro defende o uso da hidroxicloroquina

Bolsonaro defende o uso da hidroxicloroquina

Foto: Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro continua defendendo com 'unhas e dentes' o uso da hidroxicloroquina no tratamento contra o coronavírus, mesmo sem o remédio ter sua eficácia comprovada pelos cientistas e médicos na luta contra o vírus. Ele, que já teve a doença, afirma que é a "prova viva" de que o remédio funciona. No entanto, nas redes sociais na última terça-feira (15), o presidente voltou a afirmar que apenas os médicos podem receitar remédios para combater o Covid-19.

"Dezenas de milhares de vidas poderiam ter sido salvas se essas pessoas tivessem humildade, e reconhecessem que é o médico quem receita o que deve ser prescrito ao paciente (hidroxicloroquina ou outro medicamento)", disse o presidente.

A situação continuou dando repercussão quando o presidente compartilhou o que foi dito pelo secretário estadual de Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins. O secretário teria dito que "o mundo errou" quando recomendou que as pessoas fossem aos hospitais apenas quando tivessem falta de ar ou outros sintomas graves do Covid, já que, segundo ele, o tratamento precoce ajuda na evolução do paciente com o vírus. 

Essas declarações de Carlos foram dadas por ele em uma matéria do G1. O título da publicação foi reproduzido pelo presidente nas suas redes sociais. "Faltou apenas ele dizer: o presidente Jair Bolsonaro ACERTOU", disse Bolsonaro sobre as alegações de Martins. 

Veja também