Celso de Mello envia pedido de depoimento e apreensão do celular de Bolsonaro à PGR

Também foi pedido apreensão do celular do filho Carlos Bolsonaro

Enviado Direto da Redação
O ministro também decide hoje se divulga ou não o vídeo da reunião do presidente com ministros no dia 22 de abril

O ministro também decide hoje se divulga ou não o vídeo da reunião do presidente com ministros no dia 22 de abril

Foto: Divulgação/STF

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou à Procuradoria Geral da República (PGR) três notícias-crime apresentadas por diferentes partidos e parlamentares contra o presidente Jair Bolsonaro e pedindo novos desdobramentos sobre a tentativa do presidente de interferir na Polícia Federal.

São solicitados a busca e apreensão do celular do presidente e de seu filho Carlos Bolsonaro, para perícia, além de uma solicitação de depoimento do presidente.

As notícias-crime foram apresentadas logo após a denúncia do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro sobre o desejo de Bolsonaro de receber informações da PF sobre investigações em curso. Nesta sexta-feira (22), Celso de Mello também deve decidir sobre o sigilo do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril.

O ministro escreveu que os órgãos públicos não devem ignorar o que está nas notícias-crime e a apuração dos fatos é imprescindível, " ainda que se trate de alguém investido de autoridade na hierarquia da República, independentemente do Poder (Legislativo, Executivo ou Judiciário) a que tal agente se ache vinculado”.

Celso de Mello enviou os casos para análise da PGR e ressaltou que compete ao PGR analisar os fatos colocados. Não há prazo para que o procurador-geral da República, Augusto Aras, analise os documentos.

Veja também