Bolsonaro minimiza efeitos do coronavírus em rede nacional e Witzel rebate

Presidente e governador do Rio divergem sobre medidas de prevenção contra a pandemia

Enviado Direto da Redação

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se pronunciou em rede nacional (TV e rádio) sobre a pandemia do novo coronavírus (covid-19), na noite de hoje (24). Ele acusou a imprensa de promover histeria e criticou o que chamou de 'confinamento em massa', da população, que seguindo as orientações das autoridades estaduais e municipais, estão dentro de suas casas para evitar contatos e risco de novos contágios. Esta medida foi tomada por países considerados desenvolvidos na Europa, como a Inglaterra, França, Espanha e Itália (até então o país mais infectado e que detém o maior número de óbitos por causa deste vírus).


Na contra-mão de Bolsonaro, o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), criticou o chefe do Executivo Federal e reiterou que seguirá mantendo medidas de prevenção baseado em orientações na Organização Mundial da Saúde (OMS), ou seja, manterá as decisões que restringe aglomerações e circulação de cidadãos no estado.


O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), também fez duras críticas à Bolsonaro, do qual exigiu postura e considerou o seu pronunciamento temerário. "Consideramos grave a posição externada pelo presidente da República hoje, em cadeia nacional, de ataque às medidas de contenção ao covid-19. Posição que está na contramão das ações adotadas em outros países e sugeridas pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS). A Nação espera do líder do Executivo, mais do que nunca, transparência, seriedade e responsabilidade Fonte: Agência Senado", escreveu Alcolumbre, em nota.


Assista o pronunciamento do presidente da República

Assista abaixo a resposta do governador Estado do Rio de Janeiro


Veja também