Pedido de impeachment de Witzel precisa ser aprovado pela Alerj

O governador é acusado de crime de responsabilidade política

Enviado Direto da Redação
O pedido de impeachment foi feito nesta terça-feira (18)

O pedido de impeachment foi feito nesta terça-feira (18)

Foto: Divulgação

Sete deputados do PSL, entre eles o Doutor Serginho, Alana Passos, Anderson Moraes, Coronel Salema, Filippe Poubel, Márcio Gualberto e Renato Zaca, deram entrada, nesta terça-feira (18), em um pedido de impeachment do governador Wilson Witzel. No entanto, o anúncio protocolado pelos parlamentares não tem data para ser levado à frente ou encaminhado a uma gaveta na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.


O documento partiu da afirmação de que Witzel cometeu crime de responsabilidade política no caso das suspeitas de espionagem. Segundo eles, Jair Bolsonaro é a primeira testemunha do caso. O presidente é considerado inimigo político do atual governador.


O último pedido de impeachment apresentado à assembleia foi do ex-governador Luiz Fernando Pezão. O documento foi aprovado momentos antes do mandato de Pezão chegar ao fim.


Em nota, o governo do Rio de Janeiro disse que a tentativa de tirar Witzel do poder é uma manobra política, baseada em boatos infundados e irreais. Segundo a pasta, os sete deputados estão agindo com irresponsabilidade política, num momento em que o Estado do Rio de Janeiro e o país precisam de diálogos democráticos.

Veja também