Bolsonaro afirma que portador de HIV é 'despesa para o país'

Presidente defende a abstinência sexual

Enviado Direto da Redação
Presidente Jair Bolsonaro

Presidente Jair Bolsonaro

Foto: Divulgação

Jair Bolsonaro soltou mais uma afirmação polêmica nesta quarta-feira (5). Segundo o presidente, uma pessoa portadora de HIV representa "uma despesa para todos no Brasil", além de um "problema sério para ela mesma". O comentário foi feito durante uma fala na qual Bolsonaro defendia a abstinência sexual como método contraceptivo, apresentado pela ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.



"O próprio Alexandre Garcia, ele fala que a esposa dele, que é obstetra, atendeu uma mulher que começou com o primeiro filho com 12 anos de idade. Outro com 15, e no terceiro, que a esposa dele atendeu, ela já estava com HIV. Uma pessoa com HIV, além do problema sério para ela, é uma despesa para todos no Brasil", disse o presidente.


Quando questionado sobre a redução da verba destinada ao combate à violência contra a mulher, Bolsonaro apontou que, na sua visão, a área não precisa de dinheiro, e sim de "postura, mudança de comportamento e conscientização".


Após o comentário, a Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS (ABIA) repudiou a fala do presidente. De acordo com a instituição, ao dizer isso a pessoa está reforçando "o estigma, o preconceito e a discriminação contra as pessoas que vivem com HIV/Aids neste País".


A ABIA afirmou ainda que a polícia de abstinência sexual não diminuem a infecção pelo HIV e que o governo Bolsonaro ignora diariamente os direitos humanos fundamentais. Segundo a associação, espera-se que o Supremo Tribunal Federal (STF) e demais instituições jurídicas respeitem a Constituição Federal e garantam atendimento pelo SUS às pessoas que vivem com HIV/Aids.

Veja também