Teatro Municipal de SG, construído em 2016, permanece de portas fechadas

Ativistas tentam conversar com o prefeito sobre o assunto desde maio

Enviado Direto da Redação

Por Rennan Rebello

A não inauguração do Teatro Municipal Gonçalense segue causando revolta na cidade, como é o caso dos ativistas culturais de São Gonçalo que compõem o Fórum Gonçalense de Cultura. O grupo já fez duas reuniões na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no bairro do Zé Garoto para discutir o assunto.

O Fórum protocolou um ofício na Prefeitura, no dia 28 de maio, sob o número 25.299.2019, solicitando uma audiência com o prefeito José Luiz Nanci. O objetivo é tratar dos seguintes tópicos: abertura do Teatro Municipal; cumprimento das ações e metas do Plano Municipal de Cultura de SG e a criação da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de SG. O ofício é assinado por 12 ativistas culturais.

A chefe de gabinete do prefeito, Elaine Gabriel, disse ao grupo para que procurasse o secretário de Cultura, Carlos Ney, contudo o coletivo faz questão de dialogar com o chefe do Executivo do município.

“O prefeito Nanci assinou a ‘Carta de Cultura de São Gonçalo -Eleições 2016’ comprometendo-se a estar sempre aberto à cultura de nossa cidade. Ele se comprometeu com a classe artística e cultural, e como vemos nada foi cumprido. Queremos uma resposta oficial sobre a questão do Teatro Municipal para que a população tenha ciência e clareza do que está acontecendo”, explicou o advogado e poeta, Romulo Narducci.

Além de pertencer ao Fórum, Narducci também preside a Comissão de Arte e Cultura da OAB-SG e por meio deste cargo, protocolou, ontem, um novo ofício cobrando uma resposta formal sobre o primeiro pedido da audiência. Procurada, a Prefeitura informou que o prefeito Nanci está à disposição para atendê-los. Questionada de quando seria esta audiência, a reportagem não obteve resposta até o fechamento desta edição.

Gestão - O SÃO GONÇALO recebeu a informação de que o Teatro Municipal seria gerido por uma empresa que já administra teatros no Rio. A partir disso, também questionou a prefeitura sobre essa questão.

“A informação não procede. Apenas a Enel se interessou em gerir o teatro em PPP (Parceria Público Privada), mas nada foi fechado. A Prefeitura já está em posse das chaves do Teatro Municipal que entrará em fase de avaliação interna, da parte elétrica, hidráulica e iluminação. Estamos preparando para o segundo semestre, o edital de ocupação para empresas patrocinadoras que queiram participar da gestão compartilhada com a Prefeitura”, finalizou em nota.

Veja também