Governador eleito quer que seja mantido veto à lei estadual que proíbe a venda da Cedae

Witzel garante que não vai autorizar a privatização da Cedae

Enviado Direto da Redação
Na avaliação de Witzel, se venda não se concretizar, projeto de recuperação fiscal é compro

Na avaliação de Witzel, se venda não se concretizar, projeto de recuperação fiscal é compro

Foto: Divulgação

O governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, fez um apelo ontem, para que os deputados estaduais mantenham o veto do atual governo à emenda que proíbe a privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae).

Na avaliação dele, a derrubada do veto (o que impediria a privatização da Companhia) pode comprometer a Lei de Recuperação Fiscal e causar “um colapso” nas finanças do Estado. “Se houver a finalização da Recuperação Fiscal, os salários podem sequer serem pagos e os servidores do estado passarão por momentos de muita dificuldade. A Cedae não será vendida. Isso é um compromisso que eu assumo, mas é essencial que o veto seja mantido”, afirmou Witzel, após participar de evento de formatura na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais do Exército.

Ele destacou que a empresa dá lucro e tem créditos a receber: “Seria um contrassenso vender uma empresa que gera receita e que pode ser usada para pagar os empréstimos que foram feitos. Peço um voto de confiança aos deputados e deixo aqui o meu compromisso de que daqui até janeiro nós teremos uma solução para esse impasse”, disse.

Veja também